Autoridades italianas investigam possível fraude no exame de cidadania de Luís Suárez

Avançado do Barcelona poderá ter contado com ajuda para ser aprovado no exame, com conhecimento antes do exame das perguntas a que teria de responder, refere um comunicado

As autoridades italianas estão a investigar uma possível fraude no exame que o futebolista uruguaio Luís Suárez realizou para obter a cidadania do país, com a possibilidade de ter tido acesso prévio às perguntas.

Segundo os indícios da investigação está a cargo da Guardia di Finanza de Perugia, Suárez poderá ter contado com ajuda para ser aprovado no exame, com conhecimento antes do exame das perguntas a que teria de responder, refere um comunicado.

O futebolista internacional uruguaio não estará a ser investigado, ao contrário da reitora da Universidade de Perugia, Giuliana Grego Bolli, e do diretor Simone Olivieri.

A imprensa transalpina revela que Stefania Spina, que tinha a responsabilidade de preparar o jogador uruguaio para o exame, disse que Luis Suárez não falava uma palavra de italiano, "não conjugava verbos" e "falava no infinitivo".

A universidade para estrangeiros de Perugia reafirmou a correção e transparência no processo ao exame do jogador.

No início de setembro, a imprensa abordou a possibilidade de Suárez ser reforço da campeã Juventus, de Cristiano Ronaldo, num momento em que negociava a sua saída do FC Barcelona, com o qual tem contrato até 2021, mas não contará para Ronald Koeman.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG