Rúben Neves dá vitória importante ao Wolverhampton em Cardiff

A equipa treinada pelo português Nuno Espírito Santo deu um passo de gigante para conquistar a II liga inglesa de futebol, ao vencer hoje em Cardiff graças a um golo de livre do internacional luso Rúben Neves.

Seis pontos apenas separavam o líder Wolverhampton do segundo classificado, o Cardiff, que tem menos um jogo, antes da partida entre os dois principais candidatos à subida à 'Premier League' que abriu a 41.ª jornada da 'Championship'.

Um golo de Rúben Neves na execução de um livre direto valeu ao 'wolves' os três pontos e uma vantagem de nove sobre o seu mais direto perseguidor, o Cardiff, quando faltam seis jornadas para o fim (cinco para a equipa de Nuno Espírito Santo).

No entanto, o final do jogo foi tudo menos normal pelo facto de o Cardiff ter desperdiçado dois penáltis já em período de compensações, aos 90+4 e aos 90+6 minutos, o primeiro por Gary Madine e o segundo pelo avançado canadiano Junior Hoilett.

O desfecho da partida não foi bem aceite pelo treinador da equipa da casa, Neil Warnock, que no final se recusou a cumprimentar Nuno Espírito Santo.

Além de Rúben Neves, que decidiu a partida, alinharam pelo Wolverhampton mais três portugueses, Diogo Jota, também ele titular, e Ivan Cavaleiro e Hélder Costa, o primeiro a render justamente Diogo Jota, aos 67 minutos, e o segundo a ocupar o lugar do brasileiro ex-Estoril Praia, Léo Bonatini.

Com este triunfo, o 'Wolves' consolidou a liderança, com 89 pontos, seguido do Cardiff, com 80 (menos um jogo), e do Fulham, que é terceiro com 75 pontos, podendo ficar a apenas dois do segundo lugar, que dá acesso direto à 'Premier League', caso vença no sábado na deslocação ao terreno do Shefield Wednesday.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.