UCI retira licença desportiva à equipa da W52-FC Porto

Equipa de ciclismo ligada aos dragões impedida de competir devido a caso de doping organizado.

A UCI suspendeu a W52-FC Porto de toda a atividade, na sequência do caso de doping que levou à suspensão de oito ciclistas da equipa e à detenção do diretor e de um massagista. A equipa fica assim impedida de competir de imediato e não poderá participar na Volta a Portugal em bicicleta como pretendia a estrutura ligada aos dragões há seis épocas e que venceu as últimas nove edições da prova rainha do calendário nacional.

"A Federação Portuguesa de Ciclismo confirma que foi hoje notificada pela União Ciclista Internacional (UCI) de que esta entidade decidiu retirar a licença desportiva à equipa continental W52-FC Porto, na sequência da informação recebida pela UCI sobre o processo que decorre na Autoridade Antidopagem de Portugal. A decisão entra imediatamente em vigor, pelo que a equipa está impedida de voltar a competir", informou a Federação Portuguesa de Ciclismo.

A suspensão da equipa de ciclismo ligada aos dragões acontece na sequência da operação Prova Limpa, desencadeada no dia 24 de abril, pela Polícia Judiciária e pela autoridade antidopagem (ADoP) junto da equipa da W52-FC Porto, que resultou na suspensão de dez ciclistas (foram constituídos arguidos) e à detenção do diretor desportivo da equipa, Nuno Ribeiro, bem como do adjunto, José Rodrigues.

A suspensão imediata terá apanhado os dirigentes de surpresa, uma vez que ainda na sexta-feira passada, depois de confirmada a inscrição na Volta a Portugal, Adriano Quintanilha, patrão da W52-FC Porto, disse pretender estar no pelotão que vai para as estradas portuguesas de 4 a 15 de agosto, apesar de ter apenas três ciclistas disponíveis (Amaro Antunes, José Neves e Jorge Magalhães) do mínimo de cinco exigidos.

Entre os dez suspensos estão quatro antigos vencedores da Volta a Portugal: João Rodrigues (2019), Rui Vinhas (2016), Ricardo Mestre (2011) e Joni Brandão, que herdou a vitória na edição de 2018 depois da desclassificação, por doping, do também dragão Raúl Alarcón.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG