"Isto foi chato. O crime faz parte do dia a dia"

Bruno de Carvalho reagiu pela primeira vez aos acontecimentos em Alcochete. E garantiu que "os jogadores estão tristes mas querem jogar"

Bruno de Carvalho já reagiu aos atos de vandalismo ocorridos na Academia de Alcochete em declarações à Sporting TV e deixou a garantia de que os jogadores já não estão irredutíveis. "Isto foi chato. Mas temos de nos habituar que o crime faz parte do dia a dia", afirmou, em declarações à Sporting TV, atirando culpas ao governo.

"Lamento ter ouvido o secretário de Estado do Desporto ter dito que era preciso ter tomado decisões corajosas, mas sem dizer quais são essas medidas", disse Bruno de Carvalho. E prosseguiu: "O Sporting há muito tempo que fala na violência, nas claques, mas há um presidente do IPDJ que acha que a legalização não é importante. O que se passou foi um ato criminoso, em que a polícia esteve na Academia desde o primeiro momento. Vamos aguardar para ver quem são."

"Os jogadores num primeiro momento ficaram em estado de choque, como todos nós estaríamos, estão agora mais calmos, há muita especulação, mas vamos estar no Jamor. Muita gente não queria, mas vamos jogar. Os jogadores estão tristes com o que aconteceu mas querem jogar", explicou Bruno de Carvalho.

E prosseguiu: "Já ouvi uma série de teorias mirabolantes, que este é o meu modus operandi porque nas Assembleias não deixo falar quem quer falar mal, o que é falso. Estamos a quatro dias da final e depois há o fim da época, que interesse teria o Sporting numa situação destas? Vamos averiguar internamente o que aconteceu. Há dois ou três meses aconteceram em Guimarães atos reprováveis, mas no Sporting são mais agradáveis de bater. Há que condenar em todo o lado."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG