Direção repudia providências cautelares e fala em "melhor ano da história" do clube

Num comunicado, o Conselho Diretivo do Sporting considera que não tem credibilidade a ideia de que o tribunal seja favorável à sua destituição

O Conselho Diretivo do Sporting emitiu este domingo um comunicado no qual repudia a validade das eventuais providências cautelares para suspender o presidente Bruno de Carvalho de funções, lembrando que o clube está "em normal atividade".

E nesse sentido lembra que "este ano já é o melhor" da história do Sporting "no que respeita a títulos europeus e nacionais, estando as contas equilibradas e registando-se nos últimos cinco anos um crescimento de 60.000 associados". Nesse sentido, o Conselho Diretivo não considera credível "que um tribunal considere não ser dos superiores interesses do clube a continuação de uma Direcção que tem no currículo os melhores resultados desportivos e financeiros de sempre".

"Não terá qualquer credibilidade uma decisão de tribunal que se pronuncie a favor da destituição de uma direcção e administração, por causa de processos de rescisão sem sentido e por chantagens de que, se sairmos, voltam a ter condições psicológicas para ficar ou ser negociados", acrescenta a nota, que lança apela aos jogadores Rui Patrício e Daniel Podence "para refletirem bem no conteúdo das rescisões" de contrato que apresentaram na semana passada.

Além disso, o Conselho Diretivo dos leões reforça a ideia de que "e a constituição da Mesa da Assembleia Geral Transitória está suportada na Lei", acusando oos órgãos sociais demissionários de "tentativa de golpe".

Eis o comunicado na íntegra:

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.