Bruno de Carvalho vai sair do Facebook: "Vamos perder a voz"

"Que este meu afastamento do Facebook seja a vossa felicidade! E eu que sempre julguei que seria o sermos campeões em tudo. Ingénuo!", escreveu. Atacou mais uma vez Jaime Marta Soares

runo de Carvalho anunciou esta segunda-feira que vai sair do Facebook, na sequência da polémica em torno do presidente do Sporting, dos jogadores, e agora de Jaime Marta Soares, presidente da mesa da Assembleia Geral do clube.

Com Marta Soares - que crítica novamente - a pedir a demissão de Bruno de Carvalho, esta é já a segunda resposta do líder leonino, esta segunda-feira, na qual aproveitou para anunciar que vai deixar de utilizar o Facebook.

"Vamos, aos poucos, ser novamente um Clube submisso, calado, sem expressão e sem voz. Porque vamos perder a voz! A voz incómoda. A voz que se opõe, com frontalidade, contra tudo e contra todos. Que nunca terá o amor dos jogadores, pois como disse Adrien, "defendo o Sporting CP sempre". Vamos novamente perder todo o respeito que, aos poucos, estávamos a ganhar em alguma comunicação social e em muitos Stackholders. Isso vai morrer", disse Bruno de Carvalho, anunciando assim que "terminou a guerra surda" de querer manter informados os adeptos.

Refere ainda que Jaime Marta Soares ainda "ontem" lhe deu "palmadinhas nas costas". "De repente, o poder caiu na rua e já veio atraiçoar quem sempre o defendeu. E colocou em perigo coisas importantíssimas da SAD", acrescenta.

"Que este meu afastamento do Facebook seja a vossa felicidade! E eu que sempre julguei que seria o sermos campeões em tudo. Ingénuo!Quinta-Feira lá nos veremos, com assobios mas sem insultos. Eu quero é que o Sporting CP ganhe o resto... O resto é isso mesmo, efémero... Viva o Sporting CP, e o resto não interessa!", termina.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.