Doyen contra-ataca e promete ações contra Bruno de Carvalho

Agência garante que, com a condenação do Tribunal Arbitral do Desporto, os leões vão pagar mais pela transferência de Rojo do que teriam feito se não tivesse rescindido contrato

A guerra entre o Sporting e a Doyen continua a ensombrar o Natal dos leões. Ontem, enquanto a equipa de futebol era incentivada por mais de 8000 espectadores, no Estádio José Alvalade (Lisboa), num treino aberto ao público (que já é uma tradição da quadra), assistiu-se a mais um episódio do confronto entre a SAD verde e branca e a agência de investimento desportivo: a Doyen anunciou, em comunicado, que "irá avançar com ações contra aqueles que atentaram contra o bom nome da empresa e do seu CEO" [o português Nélio Lucas]. Em causa estão as acusações do presidente do clube lisboeta, Bruno de Carvalho.

Sem futebol jogado dentro das quatro linhas, foi o duelo Sporting vs. Doyen a marcar os últimos dias em Portugal. Na segunda-feira, dia 21, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS, com sede em Lausanne, Suíça) condenou os leões a pagarem 12 milhões de euros (acrescidos de juros) à agência de investimento, por terem rescindido unilateralmente os contratos que ligavam as partes, em agosto de 2014 (antes da transferência de Marcos Rojo para o Manchester United). Depois, nos dias seguintes, surgiram as reações. Bruno de Carvalho prometeu continuar a lutar pela transparência e contra os fundos. "A próxima fase é o recurso, porque queremos manter a defesa acérrima de um futebol digno e credível. Esta história encontra-se ainda no início", disse, ao Jornal do Sporting.

E, ontem, a Doyereagiu e contra-atacou. Primeiro, revelou que, com a condenação do TAS, o Sporing terá de lhe pagar mais do que aquilo que tinha proposto receber no âmbito transferência do futebolista Marcos Rojo para o Manchester United. Entre os 12 milhões de euros (mais juros) da decisão judicial -ainda sujeita a recurso - e os 4,5 milhões que os leões tinham pago de compensação pela transferência de Rojo para o Man. United, "o total combinado é de mais de euro17.000.000, ao contrário do valor significativamente inferior proposto pela Doyen Sports ao Sporting em Agosto de 2014", refere a agência em comunicado.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG