"Uma derrota para tirar ilações"

Selecionador diz que há que olhar para o lado positivo do desaire com a Holanda (3-0): "Saímos mais ricos nesse aspeto [das conclusões]"

Foi um resultado "pobre", mas uma partida "rica" em lições para o selecionador nacional, Fernando Santos. "Não queremos trabalhar sobre derrotas, mas temos que ver o que é positivo e tirar ilações, até das opções que tomei. Para mim também é importante ver se as opções que tomei estão bem ou mal", concluiu o treinador, após a derrota com a Holanda (0-3).

O desaire - a 82 dias do início da participação de Portugal no Mundial 2018 (15 de junho, 19:00, frente à Espanha) e cerca de mês e meio do anúncio da convocatória para o torneio - terá servido, principalmente para o selecionador nacional tirar ilações sobre erros a não voltar a repetir. E foi isso mesmo que Fernando Santos reconheceu, na entrevista rápida à RTP, após a partida. "Estamos tristes, mas temos que olhar para isto também pelo lado positivo - também pela apreciação dos jogadores. Este era o último jogo antes da convocatória: dentro do que não foi bem [feito] e alguns aspetos positivos, há que tirar as ilações", apontou o treinador. "Saímos mais ricos nesse aspeto [das conclusões], mais pobres no resultado", acrescentou.

Ainda assim, Fernando Santos lamentou o score da partida. "Pelo que Portugal fez na segunda parte, merecia pelo menos um ou dois golos", notou o técnico, sublinhando a melhoria da exibição da equipa das quinas na segunda parte. Então, os três golos sofridos, já tinham deitado tudo a perder: "O comportamento ofensivo foi razoável, o defensivo - global, não é do jogador A, B, C ou D - não foi adequado à nossa matriz, de equipa que concede pouco espaço ao adversário", resumiu o treinador. De resto, o selecionador deu o peito às balas, sem culpar qualquer atleta: "Provavelmente, a responsabilidade é minha: fui eu que pus os jogadores em campo, fui eu que escalonei a equipa". As ilações - e suas consequências - virão na convocatória.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG