Ricardo Quaresma. Um mágico à procura de oportunidade

Preferia o hóquei em patins ao futebol, mas por influência do irmão Alfredo largou o stick. A UEFA até quis saber como faz a trivela.

Como tantos outros miúdos Ricardo Quaresma começou a jogar futebol por influência do irmão mais velho, Alfredo. Ele gostava mais de jogar hóquei, mas começou a ir aos treinos de futebol com o irmão e foi desafiado pelo treinador a experimentar... E como tinha de esperar aceitou, afinal "era uma forma de fazer passar mais rápido o tempo", confessou.

O talento de Alfredo rapidamente despertou o interesse da formação leonina. E Ricardo não ficou atrás, crescendo e brilhando na Academia do Sporting. Estreou-se ao mesmo tempo que Ronaldo, na equipa principal dos leões, e, nessa altura poucos se atreveriam a adivinhar melhor carreira a CR7 do que a RQ7.

Em 2001/02 fez a dobradinha em Alvalade. Laszlo Bölöni ficou encantado com o seu 'mustang', como lhe chamava. E não demorou muito a ir fazer magia para Barcelona, onde o presidente de então, Joan Laporta, o alcunhou de Harry Potter. No entanto a transferência revelou-se um fracasso obrigando-o a voltar a Portugal para relançar a carreira...no FC Porto, clube onde ainda é uma referência do clube e um grande ídolo dos adeptos.

No Dragão conquistou tudo o que havia para conquistar em Portugal antes de tentar nova aventura no estrangeiro, desta vez no Inter. Mas a aliança com Mourinho não resultou e foi para o Chelsea, onde mais uma vez a história se repetiu...e acabou na Turquia em ponte para o Dubai. Até que em 2012 voltaria ao FC Porto, mas não criaria empatia com Lopetegui e a saída foi a solução. Regressou então ao Besiktas, onde joga atualmente, tendo festejado o título turco no domingo.

Foi um erro muito grande que cometi por ter ido para o Dubai com aquela idade (29 anos). O dinheiro não é tudo. O dinheiro ajuda em muita coisa mas não traz felicidade e acho que não sou a pessoa indicada para falar disso. Não me sentia feliz ali e certamente que as pessoas do clube também não estariam felizes comigo.

Jogador de drible fácil e espetacular, ganhou fama com os cruzamentos de letra os remates de trivela. Até a UEFA quis saber como o faz.

Fez sempre parte das seleções nacionais e até já deu um título europeu de Sub-17 a Portugal, em 2000. A sua estreia na seleção foi em junho de 2003 num amigável com a Bolívia, mas a lesão grave roubou-lhe o Euro 2004, sendo preterido várias vezes por ser um jogador irregular e só no Euro 2008 se viu um pouco do seu talento ao serviço da seleção. Com Paulo Bento deixou de ser opção assídua e teve nova oportunidade com Fernando Santos, sendo o joker do apuramento. Até CR7 disse que já tinha saudades de jogar com Quaresma na seleção.

A fama ganha nos relvados saltou para fora dele. Gosta de ostentar brincos, relógios e anéis. Em 2012 sofreu um assalto e, no dia e em que foi a tribunal, acabou detido por agredir duas pessoas que supostamente estavam a assaltar a mãe.

Sou tímido, simples, humilde, não gosto de regras ou imposições... Não gosto que me imponham as coisas. Não vai com a minha personalidade. Sou muito reservado e gosto de guardar a minha vida pessoal para mim. Sou uma pessoa simpática, mas não tenho de me rir para quem não quero!

Em 2015 chocou o país ao aparecer nu na capa da revista Cristina.

BI

Data de nascimento: 26-9-1983

Naturalidade: Lisboa

Altura: 1,73 cm

Peso: 67 kg

Clube atual: Besiktas (Turquia)

Clubes de formação: Sporting

Clubes representados: Sporting, Barcelona, FC Porto, Inter, Chelsea, Besiktas, AL Ahli, Besiktas

Palmarés: Campeão Nacional pelo Sporting (2001/02) e tri-campeão no FC Porto ( 2005/06, 2006/07, 2007/08). Campeão Italiano, pelo Inter (2009/10) e campeão turco, pelo Besitkas (2015/16). Duas Taça de Portugal (2002, Sporting, e 2006, FC Porto) e três Supertaça Cândido de Oliveira ( 2002, Sporting, 2004 e 2006, FC Porto). Uma Taça Intercontinental pelos dragões em 2004, uma FA Cup, pelo Chelsea em 2009 e uma Champions, pelo Inter (2009/10), além de uma Taça de Itália (2009/10). E uma Taça da Turquia (2011).
Prémios individuais: Jogador do Ano em 2005 e 2006, e, Dragão de Ouro em 2006

CARREIRA NA SELEÇÃO

Estreia: 10 de junho de 2003, num particular frente à Bolívia (4-0)

Internacionalizações: 47

Golos: 4

FASE DE QUALIFICAÇÃO

Jogos: 6

Minutos: 161

Golos: 0

NÚMEROS

3, 5 milhões de euros por ano

2.782.585 pessoas seguem-no no Facebook

134 mil seguidores no Twitter

7 clubes representados

12 troféus em quatro países

1 título de seleções: Campeão Europeu Sub-16 em 2000

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.