Rúben Amorim: "É um jogo e tudo é possível"

Sporting joga com o Arsenal, em Londres (20.00, SIC). Objetivo é passar aos quartos de final da Liga Europa. Coates e Morita não jogam por castigo.

Rúben Amorim espera um "jogo muito difícil" contra a "super-equipa" do Arsenal na segunda mão dos oitavos de final da Liga Europa, na quinta-feira (20.00, SIC e Sport TV).

Para o técnico do Sporting, a "responsabilidade do jogo está do lado do Arsenal", mas isso "não retira ambição" aos leões, que estão nos oitavos de final "por direito". Mesmo sem esquecer que "do outro lado está uma equipa que joga no melhor campeonato do Mundo", porque "é um jogo e tudo é possível", ainda mais se a equipa acreditar: "E nós acreditamos muito, podemos passar a eliminatória e seguir em frente."

E foi isso mesmo que passou ao grupo, admitindo que "começou a picar os jogadores" a seguir ao jogo com o Boavista (vitória, por 3-0). Se vai utilizar Paulinho ou Chermiti é esperar para ver, porque revelar isso na véspera era dar trunfos ao adversário, uma vez que as características de um e de outro obrigada a reações diferentes por parte de Arteta.

Sentado ao lado do técnico, Paulinho ouviu, já depois de revelar que "o Sporting vai apresentar-se com ambição" e vontade de "contrariar a qualidade do Arsenal". O avançado marcou no jogo da primeira mão e esteve perto de bisar, num lance que não esquece: jogo da 1ª mão em Lisboa e ainda esteve perto de bisar, um momento que já esqueceu. "Estava 2-1 e podia acontecer muita coisa, acaba por ser um bocadinho difícil dizer o que podia acontecer..."

De resto, "o futebol é o momento" e Rúben Amorim "é um treinador feliz" confesso: "Trabalho num clube onde eu sinto que tenho impacto. Trabalho com gente que eu gosto. Tenho um bom contrato e é importante. Eu sinto-me feliz e, neste momento, não estou à procura de nada."

Razões pelas quais quer ganhar ao Arsenal e não para se mostrar à Premier League. "O que acontecer de mau é responsabilidade minha e o que acontecer de bom é da responsabilidade dos jogadores", disse o treinador leonino, confessando que "vencer o líder da Premier League seria bom a muitos níveis", mas ele não quer que os jogadores pensem que uma eliminação pode ser o fim de uma época porque "não é o fim de nada".

O técnico acredita que os ingleses vão estar mais preparados, mas garantiu que tem a equipa leonina tem "ambição", após o empate no jogo da 1.ª mão, em Alvalade (2-2): "Nós podemos jogar melhor do que fizemos em Alvalade, mas eu acho que o Arsenal vai ser mais forte, por ter o apoio do seu público e porque é um jogo a decidir, e não tem na cabeça que tem mais um jogo."

Essugo, Mateus Fernandes e Diogo Pinto são as novidades entre os 24 convocados por Rúben Amorim para o jogo com o Arsenal. Adán foi um dos que viajou para Londres, mesmo estando em dúvida. O Sporting tem como baixas o capitão Coates e Morita, ambos castigados, e Héctor Bellerín, lesionado.

Arteta: "Fazer melhor que em Lisboa"


O treinador do Arsenal, Mikel Arteta, quer fazer "melhor do que em Lisboa" para vencer o Sporting: "Queremos ganhar, mas vamos ter de fazer melhor do que em Lisboa para ganhar ao Sporting."

Para o técnico espanhol o bom ambiente no balneário gunner é um triunfo, assim como pode ser o regressado Gabriel Jesus, após longa paragem devido a uma lesão.

Questionado sobre se a Liga Europa poderá distrair o Arsenal na corrida para o título inglês, Arteta relativizou: "Não tivemos grandes noites europeias durante três anos devido à pandemia covid-19. É provavelmente a primeira durante algum tempo e esperamos construir uma atmosfera realmente boa e desfrutar de uma noite com os nossos adeptos contra uma equipa realmente boa que vai apresentar um grande desafio."

Fábio Vieira foi o jogador escolhido pelo Arsenal para fazer a antevisão do encontro. "Joguei contra o Sporting várias vezes, conheço os jogadores e o treinador. O Sporting tem uma boa equipa que está bem organizada, mas com o trabalho que temos desenvolvido sabemos o que podemos esperar do jogo. Estamos focados e temos de atacar a área do Sporting tanto quanto for possível para marcarmos", afirmou o português, resumindo os objetivos dos gunners: "Temos de pensar jogo a jogo e manter o foco, mas queremos ganhar a Premier League e Liga Europa. Para o conseguirmos temos de ir passo a passo."

"Confortável e confiante", o médio ex-FC Porto admitiu que o início da época foi difícil. "Tenho melhorado no ginásio. Em Espanha e Portugal o futebol é mais técnico e torna-se mais difícil para os jogadores mais franzinos, tenho de melhorar o meu posicionamento para ganhar o espaço que me permita fazer golos e assistências", confessou Fábio Vieira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG