Ronaldo, uma novela de 200 milhões de euros com United e PSG à espreita

Jogador comunicou ao Real Madrid que quer sair. Clube tenta demovê-lo, mas, caso não consiga, deverá iniciar negociações. Manchester e United e Paris Saint-Germain são à partida os emblemas com mais argumentos para ir à luta

Promete ser a grande novela de mercado deste verão. Cristiano Ronaldo quer deixar o Real Madrid (apesar de ter contrato até 2021), já comunicou a decisão ao clube e os emblemas mais poderosos da Europa começam a fazer contas à vida. Na base da decisão está a forma como se sentiu tratado com a acusação de que foi alvo - uma alegada fraude fiscal no valor de 14,7 milhões de euros, o que o leva a querer sair de Espanha.

A notícia, adiantada ontem em primeira mão pelo jornal A Bola, caiu como uma bomba, sobretudo em Madrid. Segundo o jornal espanhol Marca, o internacional português comunicou há dias a sua intenção de abandonar o clube ao presidente Florentino Pérez, considerando-a irreversível. A justificação foi a forma como se sentiu tratado pelo fisco espanhol, num processo em que o jogador diz estar inocente.

A intenção do Real Madrid é tentar demover o jogador e que este reconsidere a sua posição - vão esperar pelo final da Taça das Confederações. Aliás, foi nesse sentido que o emblema espanhol tomou uma posição pública (através de um comunicado) de apoio ao jogador na sequência da acusação de alegada fraude fiscal.

O diário desportivo espanhol Marca, porém, citando fontes do clube, garante que os merengues nada farão para manter no plantel um jogador contrariado, pelo que se Ronaldo mantiver a sua decisão, o clube presidido por Florentino Pérez partirá para a mesa de negociações e vai colocar um preço ao melhor jogador do Mundo de 2016 - cerca de 200 milhões de euros é a verba avançada, sendo que CR7 ganha por mês em salários qualquer coisa como 1,8 milhões.

A notícia da intenção de Cristiano Ronaldo abandonar o Real Madrid fez estrondo em todo o mundo. E neste momento a discussão passa por perceber quais serão os clubes com poder económico e desportivo para tentarem a sua contratação. E aqui a opinião parece generalizada. Tomando como certo que CR7 quer continuar a jogar ao mais alto nível, e que por isso não está interessado em propostas da China ou dos Estados Unidos, existem neste momento dois clubes com bons argumentos: Manchester United e Paris Saint-Germain.

Argumentos para contratar

Comecemos pelo clube inglês. Foi em Old Trafford que Ronaldo se tornou na lenda que é hoje e o próprio jogador nunca escondeu o seu amor pelo clube e a paixão pelo futebol inglês. O único entrave poderia ser a relação algo fria com José Mourinho, que remonta ao tempo em que coincidiram no Real Madrid. Mas o treinador português já elogiou publicamente Ronaldo depois disso e certamente que Alex Ferguson, técnico que contratou CR7 ao Sporting e atual conselheiro do clube, seria determinante neste processo, até pela grande amizade que tem com o avançado português.

O Paris Saint-Germain seria outro destino possível. Há muito que se fala no sonho de Nasser Al-Khelaifi, proprietário do clube parisiense, em contar com Ronaldo. O magnata, aliás, chegou a falar publicamente do tema. Dinheiro não falta ao PSG, que agora tem como diretor desportivo o português Antero Henrique, ex-dirigente do FC Porto, e que está em vias de contratar Pepe, grande amigo de CR7 e seu colega de equipa, que deixou o Real Madrid com várias críticas ao clube. O luso-brasileiro poderia ser um aliado de grande importância nesta operação.

As casas de apostas também colocam United e PSG como destinos mais prováveis, mas apontam mais duas possibilidades: O Manchester City, de Guardiola, e o Bayern Munique, orientado por Carlo Ancelotti, técnico muito do agrado de Cristiano Ronaldo desde que o orientou no Real Madrid. Em jeito de brincadeira, até o Sporting colocou no Twitter uma mensagem: "Cristiano, o bom filho à casa torna... ainda demoras?"

A principal razão para Ronaldo querer deixar o Real Madrid está relacionada com as recentes acusações de fraude fiscal. Mas de acordo com a Marca, existem outros motivos, como por exemplo o facto de o internacional português se sentir perseguido pela imprensa, pois considera que não é alvo do mesmo tratamento de outras estrelas que atuam na Liga espanhola. Outro motivo é não se sentir devidamente protegido pelo clube. Aliás, em 2012, depois de um jogo frente ao Granada, Ronaldo soltou umas declarações explosivas, dizendo que estava triste devido a um "assunto profissional" que o Real Madrid estava a par, e que por isso estava infeliz e não celebrava os golos.

O "assunto profissional" estava relacionado com a renovação do contrato, algo que meses depois foi tratado, com o consequente aumento de salário. De acordo com a imprensa de Barcelona, este mais recente amuo de CR7 pode ser uma forma de reclamar um novo contrato mais vantajoso...

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG