Justiça manda apreender passaportes de nadadores norte-americanos

Juiza ordenou a apreensão dos documentos de Ryan Lochte e James Feigen devido a versões contraditórias sobre assalto de que dizem ter sido vítimas

A Justiça do Rio de Janeiro ordenou a apreensão dos passaportes dos nadadores norte-americanos Ryan Lochte e James Feigen, na sequência de um alegado assalto à mão armada de que dizem ter sido vítimas. De acordo com a imprensa brasileira, as contradições nos testemunhos dos dois atletas e as imagens de videovigilância entretanto divulgadas estão na base da decisão.

Ryan Lochte e James Feigen terão sido assaltados sob ameaça de arma no domingo à noite quando regerssavam de táxi de uma festa. O caso foi revelado à imprensa norte-americana pela mãe de Lochte, vencedor do ouro nos 4x200 livres.

Os dois nadadores, que estavam acompanhados dos atletas Gunnnar Bentz e Jack Conger, revelaram depois que o assalto ocorreu cerca das 4:00 da manhã, numa zona que não conseguiam especificar, visto que estavam muito embriagados. Os assaltantes apresentavam distintivos, apontaram-lhes armas à cabeça e levaram-lhes as carteiras, mas não os telemóveis ou as credenciais dos Jogos Olímpicos.

As imagens entretanto divulgadas pelo jornal Daily Mail mostram os atletas a chegar à Aldeia Olímpica cerca de três horas depois e com uma aparência bastante calma e sem indícios de estarem embriagados.

As autoridades suspeitam destas contradições e tentam encontrar, em vão, o taxista que os teria transportado.

A Justiça quer agora, através da apreensão dos passaportes, impedir que os atletas deixem o Brasil. Só que Ryan Lochte já não está no Rio de Janeiro e James Feigen não estava na Aldeia Olímpica esta manhã, quando a Polícia Civil do Rio apareceu com as ordem de busca e apreensão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG