Bentz pede desculpa e responsabiliza Lochte por incidente na gasolineira

Nadador sugere ainda que há imagens de videovigilância que não foram divulgadas, mas diz que aprendeu a lição. Comité Olímpico Internacional abriu um inquérito disciplinar

O nadador norte-americano Gunnar Bentz pediu na sexta-feira desculpas públicas pelo seu comportamento no caso do assalto de que alegou ter sido vítima no Rio de Janeiro, mas garantiu não ter mentido. Além disso, responsabilizou o colega Ryan Lochte pelo incidente.

"Lamento que esta situação tenha desviado as atenções dos Jogos Olímpicos [Rio2016], organizados de forma incrível pelo Brasil e os seus cidadãos", escreveu Bentz num comunicado distribuído pela Universidade da Georgia, onde estuda e compete.

Um dia depois de Ryan Lochte ter também pedido desculpas por ter mentido às autoridades brasileiras, Bentz assegurou que, no processo, foi "testemunha e não suspeito".

"Não dei falsos testemunhos", garantiu, responsabilizando Ryan Locht pelo sucedido, considerando-o o principal responsável pelo incidente na gasolineira. Garante que não testemunhou ninguém a partir uma porta, mas refere que o colega atirou ao chão um painel publicitário de metal.

Detalhando toda a situação, Bentz conta que dois homens, que julga serem seguranças da bomba de gasolina, lhes apontaram armas e gritaram para se sentarem. Segundo relata, Lotche terá reagido à atitude destes homens, começando a gritar com os guardas. No entanto, realça, não houve "qualquer contacto físico, apenas insultos.

Com a ajuda de um homem que entretanto se aproximou e que falava inglês e português, os nadadores perceberam que os funcionários da estação se serviço queriam dinheiro, alegadamente para pagamento dos estragos. Mediante o pagamento de cerca de 50 dólares, "eles baixaram as armas" e o grupo de nadadores deixou o local.

Neste comunicado, Gunnar Bentz sugere a existência de outras imagens de videovigilância além das que foram divulgadas e que algumas terão mesmo sido escondidas.

A finalizar, o nadador diz ter aprendido uma importante lição.

Entretanto, o Comité Olímpico Internacional (COI) anunciou hoje a abertura de um inquérito disciplinar aos quatro nadadores norte-americanos envolvidos neste caso.

"Foi nomeada uma comissão disciplinar pelo COI e haverá um inquérito aos quatro nadadores", indicou um responsável da organização, citada pela agência noticiosa AFP, acrescentando que os atletas poderão ser chamados a depor no âmbito da investigação.

Ontem, a CNN avançou que o Comité Olímpico norte-americano decidira suspender o atleta Ryan Lochte, por ter mentido neste caso, mas o porta-voz do organismo garantiu que a informação era falsa.

Ryan Lochte, Gunnar Bentz, Jack Conger, Jimmy Feigen alegaram inicialmente terem sido assaltados de madrugada no Rio de Janeiro por indivíduos armados, que se fizeram passar por polícias, quando regressavam de táxi à Aldeia Olímpica.

A investigação policial subsequente e imagens vídeo entretanto recolhidas permitiram concluir que os nadadores olímpicos norte-americanos não foram assaltados e foram eles que causaram distúrbios, visivelmente alcoolizados, num posto de gasolina.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG