"Não entrem na onda das ofensas, não deem espaço ao racismo"

Amnistia Internacional e FPF voltam a juntar-se para educar para os Direitos Humanos, dentro e fora das quatro linhas. Vídeo assinala o Dia Internacional da Não Violência e da Paz nas Escolas.


Fernando Santos é o protagonista de um filme inspirador lançado este sábado pela Amnistia Internacional, em parceria com a Federação Portuguesa de Futebol. Em pleno Dia Internacional da Não Violência e da Paz nas Escolas, as duas organizações voltaram a unir forças para educar para os Direitos Humanos, passando a mensagem de que o racismo, a xenofobia e a discriminação não têm lugar no futebol.


A ação começa com uma palestra do selecionador nacional na Cidade do Futebol, que se torna viral depois de cair em aplicações de mensagens e redes sociais. Numa rara oportunidade de ouvir as palavras que Fernando Santos transmite aos jogadores da seleção nacional, percebe-se que não é só a vitória que importa. Os craques, lembra o selecionador, também devem dar o exemplo à sociedade, a partir da educação, do respeito pela liberdade, a igualdade e a inclusão.

"O que fazem no campo influencia quem joga à bola no bairro, na escola, em todo o lado. Lembrem-se que somos todos seres humanos, somos todos iguais, não interessa a cor da pele, a raça, o género ou a orientação sexual. Não entrem na onda das ofensas, não deem espaço ao racismo. A educação vem muito antes da rivalidade. Está na hora de dar o nosso melhor, sem esquecer o mais importante que podemos dar: o exemplo", afirma Fernando Santos.

O filme insere-se no projeto "Eu Jogo Pelos Direitos Humanos", que a Amnistia Internacional lançou em setembro de 2020 na sede da Federação Portuguesa de Futebol, e que conta com o apoio, além da FPF, da Liga Portugal, do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol, várias entidades governamentais, operadoras como a Altice e a NOS, entre outras instituições e empresas ligadas ao futebol nacional. O objetivo do projeto é sensibilizar e educar todos os agentes desportivos para os Direitos Humanos.

O lançamento coincide com o Dia Internacional da Não Violência e da Paz nas Escolas, uma data instituída em 1964 com o objetivo de alertar alunos e toda a sociedade para valores como o respeito, a tolerância e a solidariedade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG