Ministério Público confirma quatro arguidos no caso do Feirense-Rio Ave

Em causa estão suspeitas da prática do crime de corrupção na atividade desportiva

O Ministério Público (MP) confirmou hoje à agência Lusa a existência de quatro arguidos no âmbito da investigação ao encontro entre o Feirense e o Rio Ave, da I Liga portuguesa de futebol.

De acordo com o MP, em resposta a questões colocadas pela Lusa, "em causa estão suspeitas da prática do crime de corrupção na atividade desportiva".

"Este inquérito, instaurado no Ministério Público de Santa Maria da Feira e recentemente remetido ao DIAP distrital do Porto, tem quatro arguidos constituídos", refere.

Na quarta-feira, a estação televisiva SIC noticiou que quatro jogadores do Rio Ave tinham sido constituídos arguidos, por estarem envolvidos num alegado caso de viciação de resultados.

De acordo com a estação televisiva, os jogadores foram aliciados para perder jogos, nomeadamente na visita ao Feirense, um encontro da 20.ª jornada do campeonato disputado em 06 de fevereiro, que terminou com vitória da equipa da casa, por 2-1, e que na altura levantou suspeitas que motivaram a suspensão das apostas.

O Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia justificou a decisão devido ao "volume atípico de apostas registado e o risco financeiro envolvido".

A SIC acrescenta que a PJ do Porto está a investigar o caso há quase um ano e que tem fortes indícios de prática de crime. Os jogadores terão recebido avultadas somas de dinheiro para adulterarem o resultado do encontro.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.