Real vence Mundial de Clubes no "ano de sonho" de Ronaldo

Clube espanhol precisou de um prolongamento para bater o Kashima Antlers. CR7 brilhou com três golos e o Real Madrid tornou-se o clube com mais troféus internacionais

O Real Madrid venceu ontem, em Tóquio, o Kashima Antlers por 4-2, após prolongamento, e conquistou o Mundial de Clubes, o quinto do seu historial (contando com a Taça Intercontinental), tornando-se o clube mundial com mais troféus internacionais (21), mais um do que Barcelona e Al Ahly, do Egito.

Cristiano Ronaldo vestiu novamente a pele de salvador, com três golos fundamentais na vitória sobre os japoneses, num jogo mais complicado do que inicialmente esperado (o guarda-redes Keylor Navas foi decisivo) e que obrigou a um prolongamento, dado o 2-2 no tempo regulamentar. Benzema abriu o marcador aos 9", mas o japonês Gaku Shibasaki, com dois golos (44" e 52"), deu à final contornos de escândalo. Ronaldo empatou aos 60" de grande penalidade e no prolongamento marcou mais dois, resolvendo a questão a favor do Real Madrid.

No final do jogo, já depois da festa dos jogadores no momento em que receberam o troféu e após receber o prémio de melhor jogador em campo, Cristiano Ronaldo falou num "ano de sonho". E há de facto motivos para 2016 ficar para sempre marcado na memória do jogador português, que neste ano, além da Liga dos Campeões, da Supertaça Europeia e do Mundial de Clubes pelo Real Madrid, sagrou-se também campeão da Europa pela seleção nacional. A nível individual, recebeu na semana passada a Bola de Ouro, da revista France Football, que premeia o melhor jogador do mundo, e surge como favorito a ganhar o troféu da FIFA, cujo anúncio será feito no dia 9 de janeiro.

"Foi um ano de sonho, e terminar assim, a marcar três golos e a ajudar o Real Madrid, foi muito bom, tenho de estar contente. Era um troféu que queríamos conquistar e queríamos finalizar o ano da melhor maneira", referiu CR7, que deixou um agradecimento aos seus colegas de equipa: "Espera-se sempre mais do Cristiano e eu dou sempre o meu melhor, quando não dou é porque não posso. Foi uma semana cheia de alegria, com a conquista da Bola de Ouro e agora com o Mundial, mas tenho de agradecer aos meus companheiros, porque sem eles não podia ganhar os troféus individuais que ganhei."

Com a conquista de ontem, Ronaldo tornou-se o primeiro jogador da história a conseguir vencer num só ano um Europeu de futebol, uma Liga dos Campeões, um Mundial de Clubes e uma Bola de Ouro. E igualou o feito de Pelé, até ontem o único jogador a marcar três golos nesta prova (fê--lo pelo Santos, frente ao Benfica, em 1962, mas numa final disputada a duas mãos).

Ronaldo tornou-se ainda o terceiro jogador português a ser considerado MVP (melhor em campo) de uma final do Mundial de Clubes, depois de Maniche (pelo FC Porto, em 2004), e Deco (pelo Barcelona, em 2006).

A partida de ontem disputada em Tóquio deu ainda a conhecer ao Mundo um quase desconhecido jogador japonês que pode ter ganho a sorte grande com os dois golos apontados ao Real Madrid. Gaku Shibasaki, de 24 anos, que herdou no Kashima Antlers a camisola 10 que um dia foi usada por Zico, fica livre dentro de 12 dias... e sonha jogar em Espanha. "O futebol japonês não goza de tanto nível como o da Europa, e creio que precisamos de pelo menos dez anos para estar nesse nível. Gostaria que no futuro pudéssemos ser considerados o Real Madrid japonês", referiu o jogador nipónico.

Exclusivos