Federação instaura inquérito disciplinar a suspeitas de corrupção no Sporting

Polícia Judiciária está a investigar os jogos desta temporada que os leões realizaram contra V. Guimarães, Feirense, Desp. Chaves, Tondela, Desp. Aves e Estoril

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou esta quinta-feira que vai instaurar um processo de inquérito "tendo por base notícias relacionadas com denúncias de eventuais atos de corrupção".

Através de um comunicado publicado no site da FPF, é ainda divulgado que o processo foi enviado hoje "à Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, mantendo-se em segredo até ao fim do inquérito".

O Sporting está a ser investigado por suspeitas de um alegado esquema de corrupção no andebol mas também no futebol profissional, o denominado caso CashBall. Nesse sentido foram realizadas ontem buscas na SAD do clube.

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar os jogos desta temporada que os leões realizaram contra V. Guimarães, Feirense, Desp. Chaves, Tondela, Desp. Aves e Estoril, havendo suspeitas de que alguns jogadores dessas equipas tenham sido pagos para facilitar as vitórias dos leões.

As buscas à SAD leonina, em Alvalade, iniciaram-se ontem, cerca das 9.00, tendo as autoridades detido quatro pessoas, por suspeita de corrupção ativa, que foram transportadas para o Porto, onde foram ouvidas na instalações da PJ (até à hora do fecho desta edição não eram conhecidas as medidas de coação). Um deles é André Geraldes, team manager dos leões e braço direito do presidente Bruno de Carvalho para o futebol, que alegadamente seria o mentor de todo o esquema.

Os outros suspeitos são Gonçalo Rodrigues, responsável pelo Gabinete de Apoio ao Atleta e às Modalidades Profissionais do Sporting, que já suspendeu as suas funções, e os empresários João Gonçalves e Paulo Silva.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG