Humberto Coelho: "Chegou a hora de assumir que queremos ganhar o Euro"

Humberto Coelho, vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, mostrou esta terça-feira, em Saint-Étienne, muita confiança para a estreia no Euro 2016. "Estamos fortes mas é preciso correr muito", avisou.

"Chegou a hora de assumir que queremos ganhar um Campeonato Europeu. Isso é bom, não vai ser fácil, mas nós sentimos que foi transmitida uma confiança e os nossos jogadores estão a assimilar e estão a corresponder com trabalho, tem-se trabalhado muito, e ao mesmo tempo com uma ambição e entrega muito grande", afirmou Humberto Coelho, aos jornalistas portugueses em Saint-Étienne, local da estreia de Portugal no Euro 2016, esta terça-feira (20.00, RTP1), contra a Islândia.

O vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol sublinhou o bom estado de espírito da equipa nacional: "O estado espírito é bom, estamos focado no objetivo. É o início do nosso Campeonato da Europa, o primeiro jogo é sempre importante, há concentração e há confiança. Queremos fazer um bom jogo, começar bem e as expectativas são boas". Mas também ressalvou que não espera facilidades diante dos islandeses, que vão fazer a estreia em grandes competições.

"Estamos fortes mas é preciso correr muito. Como viram a Itália com a Bélgica, a Espanha, a França são equipas que estão no lote dos favoritos e os jogos têm sido muito intensos. Penso que temos a qualidade necessária, a confiança... Estamos bem mas é preciso dar tudo. Os jogadores vão fazê-lo e se isso acontecer tenho a certeza que vamos fazer um bom resultado", afirmou o antigo selecionador nacional, lembrando que os portugueses vão precisar de "muita paciência, muita concentração, de serem determinados", diante dos islandeses.

Humberto Coelho falou ainda do estado físico de Cristano Ronaldo: "Ele está bem. Ao longo de uma época tem estado sempre bem. Ele bate recordes, têm alegria em jogar e transmite essa alegria de jogar aos companheiros. Hoje de manhã estava focado e confiante. Ele nem precisa que lhe digam para ter confiança, ele transmite-a a si próprio, galvaniza-se e isso é fundamental".

Quanto a Quaresma, "compete ao selecionador nacional decidir se está em condições", disse o dirigente. No entanto, tal como o DN avançou esta terça-feira, o extremo deverá ser poupado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG