"Cristiano tornou-se um jogador muito mais objetivo"

A opinião é de João Moutinho, sobre a evolução do capitão português ao longo da carreira

O médio do Monaco admite que teve uma época marcada por lesões, sobretudo no tornozelo, mas espera estar em condições de contribuir para um bom Europeu de Portugal.

Leia as declarações de João Moutinho, em conferência de imprensa:

Como está Portugal para a estreia e que Islândia esperam?

Islândia é uma equipa forte. Mostrou na fase de qualificação, em que conseguiu apurar-se à frente de duas seleções com melhor ranking.

Tentar fazer o nosso jogo e entrar bem na competição, que é importante

Estado de espírito da seleção?

Tem sido bom. Há um espírito de união, de entreajuda, e já demonstrámos isso nos jogos de preparação. E queremos demonstrar também amanhã, fazendo um bom jogo e obtendo um bom resultado

Estado de Quaresma?

Não tenho muito a dizer. Aquilo que tenho visto é que está bem e espero que nos possa ajudar, se mister assim o entender

Juventude da seleção, há 10 estreias em fases finais. É garantia de motivação?

Dá a garantia que o técnico entendeu para chegar o mais longe possível, se possível ganhar. Sabemos que vamos ter um jogo difícil já amanhã, contra uma seleção de processos simples, que tenta o contra-ataque para surpreender o adversário. Vamos tentar contrariar os pontos fortes da Finlândia... - da Islândia, desculpem -, para conseguir ganhar o nosso primeiro jogo.

Forma física de João Moutinho, após época marcada por lesões?

Tem vindo a melhorar, semana a semana, desde que cheguei. É para isso que tem servido o estágio também. Tive muitas lesões no tornozelo, é verdade, mas espero estar em condições neste Europeu para dar o meu contributo para conseguirmos uma vitória.

Selecionador Islândia mostrou que conhece bem Portugal. Vai ser um jogo de paciência amanhã?

Vai ser jogo complicado. Claro que nos conhecem, como nós também conhecemos a Islândia. O jogo irá ditar o que fazer nas diversas fases - ora com mais paciência, ora mais rápido. Temos uma filosofia que queremos impor, mas o jogo é que vai ditar como o fazer.

Diferenças entre 4x4x2 da seleção e 4x3x3 do Monaco?

Mudando a tática é claro que também mudam os movimentos de todos os jogadores. Quanto a mim, mudam algumas coisas, mas não tantas. Estou habituado a jogar em ambos os sistemas, joguei vários anos em qualquer um deles. Estamos familiarizados [nesta seleção] com qualquer um dos dois sistemas e vamos dar o melhor, seja em que sistema for, para chegar à vitória.

Em relação ao Mundial 2014, há mudança no discurso da seleção. Das cautelas do jogo a jogo passamos para a ambição declarada de ganhar o título?

Temos um objetivo final, que deve ser o de todas as seleções, que é vencer o Euro. Já demonstrámos que temos essa ambição. Mas para lá chegar, há que ir jogo a jogo.

A chamada de novos médios?

É sempre bom. São jovens jogadores com muita qualidade, que estão cá para nos ajudar

Quão boa é esta seleção de Portugal comparada com outros anos?

São sempre seleções diferentes, com jogadores diferentes, mas com a mesma ambição. As nossas equipas dão sempre o máximo jogo a jogo, e isso é o mais importante. Temos jogadores de qualidade, como também já tivemos noutros anos. Mas de momento estamos focados neste Euro, é o mais importante. Comparações não servem de nada.

Que mudou no jogo de Cristiano Ronaldo na última década?

Eu, que o acompanho desde muito novo, acho que nestes anos o Cristiano se tornou um jogador muito mais objetivo na procura do golo. E tem mostrado sucesso, com muitos golos marcados. Espero que possa dar continuidade a esse instinto, marcar golos e ajudar já amanhã.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG