Bruno Lage sucede a Nuno Espírito Santo como treinador do Wolverhampton

Este será um regresso de Lage ao Reino Unido, onde foi adjunto de Carlos Carvalhal no Sheffield Wednesday e no Swansea.

O treinador português Bruno Lage é o novo treinador do Wolverhampton, sucedendo ao compatriota Nuno Espírito Santo, anunciou esta quarta-feira o clube da liga inglesa de futebol.

Depois de mais de uma temporada sem treinar, após ter deixado o Benfica na fase final da temporada 2019/20, Bruno Lage, de 45 anos, vai regressar ao banco de uma equipa e assinou pelo Wolverhampton, não sendo revelada a duração do contrato.

No 'wolves', Bruno Lage vai suceder a Nuno Espírito Santo, que treinou a equipa nas últimas quatro temporadas, conduzindo-a de regresso à Premier League.

Bruno Lage teve no Benfica a sua primeira experiência como treinador principal no primeiro escalão, levando as 'águias' à conquista da I Liga portuguesa em 2018/19 e da Supertaça Cândido de Oliveira em 2019.

Este será também um regresso de Lage ao Reino Unido, onde foi adjunto de Carlos Carvalhal no Sheffield Wednesday e no Swansea.

No Wolverhampton, Bruno Lage vai treinar vários jogadores portugueses, depois de, em 2020/21, terem estado no plantel Rui Patrício, Nélson Semedo, Rúben Neves, Vitinha, João Moutinho, Pedro Neto, Daniel Podence e Fábio Silva.

"O próximo passo na minha carreira era este. Voltar a um país no qual já estive durante três anos e que vive intensamente o futebol como treinador principal de um grande clube", disse Bruno Lage aos canais de comunicação dos 'wolves'.

Bruno Lage considerou que o Wolverhampton "tem feito um percurso fantástico durante os últimos quatro anos" e que poder competir na Premier League é, sem dúvida, um grande passo na sua carreira, que o deixa "orgulhoso e com uma motivação enorme".

"O Nuno [Espírito Santo] fez ao longo dos últimos quatro anos um trabalho fantástico e agora cabe-nos a nós a responsabilidade de prosseguir esse trabalho e continuar a trazer sucesso para este grande clube", acrescentou o treinador.

Conhecer os cantos à casa e ligar os vários departamentos e pessoas num projeto comum é o próximo passo do treinador.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG