Bruno de Carvalho estava "alucinado e visivelmente tresloucado"

Na carta de rescisão Rui Patrício conta como o presidente leonino surgiu na reunião com os jogadores após a derrota com o Atlético de Madrid. "Estava exaltado com 'ar de ditador'."

Depois da derrota na Liga Europa com o Atletico de Madrid, que levou ao post retirado do Facebook e a um comunicado dos jogadores, no dia 7 de abril, véspera do jogo com o Paços de Ferreira, os jogadores foram convocados para uma reunião no estádio de Alvalade. Para trás já estava um processo disciplinar e uma suspensão que durou sete horas e os jogadores e Jorge Jesus achavam que tal encontro iria servir para Bruno de Carvalho pedir desculpa.

LEIA AQUI A CARTA NA ÍNTEGRA

Mas, segundo a descrição de Rui Patrício, nada disso aconteceu. O jogador do Sporting começa por descrever o estado em que Bruno de Carvalho surgiu na reunião. E as palavras são duras:

"Foi marcada uma reunião no estádio, na qual esteve o plantel, o treinador, o Team Manager André Geraldes e o Presidente da Sporting clube de Portugal - Futebol SAD, que estava visivelmente exaltado com "ar de ditador", alucinado e visivelmente tresloucado, tendo-me acusado e ao William de sermos os organizadores do protesto, por querermos sair do clube há muito tempo."

Diz Patrício que Bruno de Carvalho teve sempre para com ele uma "postura de enorme agressividade", tendo por inúmeras vezes gritado. William de Carvalho era alegadamente outros dos alvos do Presidente: "Depois de uma troca de palavras com William de Carvalho, em que discutiram o facto de o Presidente estar a incentivar reações agressivas contra os jogadores, este afirmou que se lhe quisesse bater não precisava de chamar ninguém".

Jorge Jesus apelidado de "Rei" por Bruno de Carvalho... que disse que ia sair no final da época

Segundo conta Rui Patrício, durante essa reunião, Jorge Jesus interpelou Bruno de Carvalho: "Você disse que vinha aqui para pedir desculpas..." E que o Presidente terá respondido: "Pedir desculpas, eu não fiz nada de mal..." E terá acrescentado: "No final da época eu vou-me embora, vou para junto da minha família, nada mais importa, está aqui o REI - referindo-se a Jorge Jesus - e eu vou-me embora, para junto da minha família que é o mais importante, que gosta de mim..."

E antes de se ir embora terá dito: "Vou tirar a suspensão, o mister pode convocar quem quiser, é o Rei do Clube, mas os processos vão continuar".

Exclusivos