Procuradora não sabia que estavam a usar as suas passwords

Sem citar o nome, Ministério Público iliba Ana Paula Vitorino, assessora de Maria José Morgado, cujas credenciais terão sido usadas para "recolher informação relacionada com processos"

O Ministério Público (MP) fez, pela primeira vez, um comunicado oficial sobre os interrogatórios ao oficial de justiça José Nogueira da Silva, que ficou em prisão preventiva, e a Paulo Gonçalves, assessor jurídico da SAD do Benfica, que saiu com proibição de falar com os restantes arguidos.

Nesta informação, o MP refere que o inquérito dirigido pelo DIAP de Lisboa tem por objeto "factos suscetíveis de integrarem crimes de corrupção, peculato, violação do segredo de justiça, favorecimento pessoal, falsidade informática, acesso ilegítimo e burla informática".

O MP iliba ainda Ana Paula Vitorino, confirmando que não é suspeita. A utilização da password da procuradora "efetuou-se sem o conhecimento ou consentimento da titular das credenciais, a qual, sendo completamente alheia ao sucedido, não é, nem nunca foi, suspeita ou visada na investigação em curso".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG