Jesus está esquecido, agora é hora de elogiar Rui Vitória

António Figueiredo, Toni e João Alves estão satisfeitos com o trabalho do atual treinador e entendem que estão reunidas condições para a conquista do tricampeonato

Há poucas semanas, Rui Vitória era um nome contestado e poucos acreditavam na obtenção do tricampeonato. Mas como se sabe, o futebol é um mundo volátil e a série de dez jogos e um empate na Liga, que permitiu a redução de sete para dois pontos face ao líder Sporting, parece estar a levar a uma gradual mudança de opinião.

Na opinião de três personalidades benfiquistas ouvidas pelo DN, Rui Vitória é o homem certo para levar o Benfica ao título. António Figueiredo, antigo vice-presidente do clube da Luz, defende que "tinha de ser dado tempo ao novo treinador, que no início foi criticado porque os portugueses têm a mania de querer as coisas feitas de um dia para o outro". E sublinha que Rui Vitória "teve de suportar uma pré-temporada mal planificada, com longas viagens pelas Américas a troco de tostões, seguindo-se duas derrotas muito importantes com o Sporting".

António Figueiredo lembra que quando Vitória chegou à Luz "apresentava um currículo superior ao de Jorge Jesus". De resto, defende que o técnico do Sporting "teve inúmeras derrotas e títulos perdidos no Benfica, apesar de ter reunido condições que não estiveram ao dispor de mais nenhum treinador". Por isso, deseja que "continue em Alvalade e que faça uma segunda volta miserável, como era habitual no Benfica".

Na opinião do ex-dirigente, o Benfica "tem todas as condições para crescer, até porque estão quase a voltar Salvio, Gaitán e Nélson Semedo". Curiosamente, António Figueiredo até se esqueceu de mencionar o capitão Luisão, outro atleta prestes a regressar aos relvados.

Recuperação sem favores

António Figueiredo ainda dá mais realce à recuperação encarnada pelo facto "de estar a acontecer sem os favores da arbitragem, ao contrário do que tem acontecido com o Sporting, que tem sido beneficiado". Aproveitou ainda para lançar "farpas" a Bruno de Carvalho, "a única pessoa a defender que Rui Patrício não fez penálti com o Tondela" e a Jorge Jesus "que puxou o "bandeirinha" desse jogo pelo braço e nada lhe aconteceu, provando-se mais uma vez que o futebol português é um carnaval".

Toni, treinador campeão no Benfica em duas ocasiões, enaltece a série vitoriosa do Benfica "consubstanciada por exibições aceitáveis, mas ainda sem nível elevado". Quanto a Rui Vitória, diz que "os resultados não são obra do acaso e refletem a qualidade dos seus métodos", não deixando de lembrar que "no início todos diziam que não era técnico para o Benfica porque perdeu três vezes com o Sporting".

No entanto, Toni realça que não está tudo bem agora e que "a Taça de Portugal e a Supertaça já foram". Por isso, diz que "é preciso continuar nesta senda para que no final se atinjam outros objetivos".

João Alves, outra figura histórica do Benfica, defende que Rui Vitória "tem melhorado aos poucos, depois de ter entrado numa fase de reconstrução da equipa e de mudança de paradigma, com maior aposta nos jovens portugueses". Superada a desconfiança "ditada pelas três derrotas com o Sporting", defende que Rui Vitória "tem realizado um trabalho de categoria, ainda que continue a ter dúvidas, principalmente no ataque, algo que é natural".

Para João Alves, já foi ultrapassado o "trauma" da herança de Jorge Jesus. "Essa questão já não se coloca e se calhar nunca foi assim tão importante, porque o anterior treinador também passou por fases de instabilidade e maus resultados nos seis anos em que esteve no Benfica".

Exclusivos