Dono de clube chinês assegura que já tinha acordo por Jiménez

Shu Yuhui, proprietário do Tianjin Quanjian, diz que transferência caiu por causa dos novos limites de estrangeiros

A possível transferência do avançado mexicano Raúl Jiménez para o futebol chinês parece ter abortado, pelo menos para já, devido às novas regras de limitação de jogadores estrangeiros na liga chinesa. A revelação foi feita pelo milionário Shu Yuhui, dono do clube Tianjin Quanjian, que disse à Tianjin TV que já tinha chegado a acordo com o empresário português Jorge Mendes para as contratações do atacante do Benfica e do colombiano Radamel Falcao, mas que o negócio tinha sido cancelado devido à nova legislação.

"Os rumores sobre Costa [Diego Costa, avançado do Chelsea, em quem o Tiajin Quanjian também está interessado] são certos. E também fizermos uma proposta por Cavani [PSG], que ainda estamos a negociar. Mendes veio a minha casa há uns dias e falámos sobre Costa, mas também sobre Falcao e Raúl Jiménez. O acordo por estes dois estava feito, o preço era bom e os jogadores estavam preparados para assinar. Mas depois vieram as notícias sobre os limites salariais e as novas restrições de estrangeiros e tivemos de alterar os planos", disse Yuhui, em declarações reproduzidas pelo site Sina Sports.

Recorde-se que as autoridades chinesas impuseram recentemente novas regras para a inscrição e utilização de jogadores estrangeiros na liga chinesa, limitando a cinco as vagas para estrangeiros por plantel e a três a utilização por jogo. Até agora, os clubes podiam utilizar cinco atletas estrangeiros por jogo, desde que em campo respeitassem a regra de 3 estrangeiros não asiáticos + 1 asiático. Além dos limites de estrangeiros, as novas regras incluem a obrigatoriedade de fazer alinhar um sub-23 chinês no onze titular e outro como suplente, além de tetos salariais, entre um conjunto de medidas destinadas a promover os talentos locais e controlar os gastos irracionais dos clubes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG