FC Porto perde pontos com Nanu a caminho do hospital

Jogo marcado pelo choque entre Kritciuk e Nanu. Dragões deixaram dois pontos no Jamor, frente à B SAD (0-0). Sporting pode reforçar liderança na sexta-feira (joga com o Marítimo).

Um choque de cabeça entre Kritciuk e Nanu ao minuto 84 do jogo entre o B SAD e o FC Porto, no Jamor, esta quinta-feira, gerou grande aflição no relvado, nos bancos e em quem estava a ver o jogo em casa pela televisão. O jogador portista caiu desamparado no relvado e ficou inanimado durante largos minutos.

Os jogadores das duas equipas aperceberam-se da gravidade da situação e pediram de imediato a entrada em campo das equipas médicas. A ambulância demorou pouco mais de um minuto a entrar no relvado, mas manda o protocolo que o jogador seja estabilizado antes de ser movido e por isso só depois de recuperar os sentidos e ser imobilizado foi transportado para o Hospital São Francisco Xavier.

Nanu sofreu um traumatismo cranioencefálico, com perda de memória, estando a ser submetido a vários exames, incluindo uma TAC para avaliar a situação clínica geral. Seja qual for o diagnóstico final, o defesa guineense deve passar a noite no hospital em observação.

O jogo retomou depois de quase 15 minutos de paragem, mas os portistas não conseguiram desfazer o empate (0-0) e têm agora menos três pontos do que o líder Sporting, que joga na sexta-feira com o Marítimo e pode aumentar a vantagem para seis pontos. No final, em declarações ao flash interview da Sport TV, Sérgio Conceição queixou-se do relvado e do árbitro: "Fomos roubados e enganados."

Muita luta, pouco jogo e pontos perdidos

Na véspera do jogo da 17.ª jornada da I Liga, Sérgio Conceição justificou a seca de golos de Marega com o desgaste físico que o maliano esteve obrigado nas últimas três épocas. Esta quinta-feira deu-lhe algum descanso. O avançado começou o jogo com a B SAD no banco dando lugar a Evanilson no onze. A troca de avançado foi apenas uma de quatro alterações promovidas pelo treinador do FC Porto, já que Corona, Luis Díaz e Zaidu também começam no banco, dando o lugar a Nanu, Fábio Vieira, Felipe Anderson (titular pela primeira vez).

Já Petit tirou Rúben Lima, Afonso Taira e Cassierra e fez alinhar Calila no lado esquerdo da defesa, Miguel Cardoso no ataque e Yaya no meio campo. As bolas nas costas da sua defesa criaram muitos problemas aos azuis de Lisboa, mas a bem da verdade é que os dragões falharam sempre no último golpe.

Taremi caiu na área aos 11 minutos e ficou a pedir penálti. O árbitro mandou seguir. Pouco depois Uribe testou a atenção de Kritciuk e Sérgio Oliveira fez melhor e obrigou o russo a grande defesa para impedir o golo portista. Na recarga Taremi não teve cabeça para o 1-0.

O jogo estava confuso. A bola chegava fácil à área de cada uma das equipas, mas depois faltavam espaços para decidir com critério e por isso se chegou ao intervalo sem golos válidos. Evanilson ainda meteu a bola na baliza aos 42 minutos, mas o lance foi anulado por fora de jogo de oito centímetros.

Chegar ao intervalo sem golos é coisa rara neste FC Porto. Foi apenas a segunda vez no campeonato que não marcou na primeira (o outro foi com o Boavista) e a primeira vez que terminam um jogo sem qualquer golo.

Marega e Corona saltaram do banco

No segundo tempo voltaram as mesmas equipas e a mesma postura do primeiro tempo. Sem conseguir descobrir o caminho para a baliza Sérgio Conceição fez entrar Luis Díaz para o lugar de Felipe Anderson. Nesta altura o FC Porto estava muito pressionante e a equipa de Petit limita-se a defender. Exceção feita a uma investida de Miguel Cardoso, que isolado permitiu a defesa de Marchesín.

A solução portista para desbravar caminho foi recorrer aos pesos pesados que descansavam no banco. Marega e Corona entraram e começaram logo a fazer estragos. O maliano ganhou espaço na área e caiu, ficando a pedir grande penalidade... o problema é que estava em fora de jogo. Depois o mexicano sacou de um cruzamento com esquadra e régua à medida da cabeça de Taremi, mas Kritciuk não permitiu o golo portista.

O FC Porto ganhou um canto e foi nesse lance que o guarda-redes russo do B SAD e Nanu chocaram de cabeça. Um lance polémico que deveria dar lugar a uma grande penalidade a favor dos dragões, na opinião de Sérgio Conceição e de Pepe. "Esse lance tirou-nos um jogador para a reta final e acho que era penálti, mas estava lá o árbitro para decidir. Sei que é difícil tomar a decisão, mas acho que a falta é clara, por muito menos rivais têm beneficiado de penalidade. Não é por o FC Porto ter cinco ou seis castigos máximos que este não é. O árbitro tem de marcar", disse o capitão dos dragões.

Pela expressão dos jogadores ninguém parecia muito interessado em retomar o jogo, mas o árbitro achou que havia condições e mandou jogar até aos 108 minutos, mas o resultado não se alterou e a equipa de Sérgio Conceição perdeu mais dois pontos na luta pelo título.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG