Atlético lembra que o título do Carcavelinhos é seu

Na edição 1927/28 o Carcavelinhos sagrou-se campeão nacional mas em 1942 o Atlético nasceu da fusão do então campeão com a União Lisboa

O Atlético Clube de Portugal não deseja debater a discussão sobre os campeonatos nacionais reclamados pelo Sporting, luta à qual se juntaram nos últimos tempos o FC Porto, o Belenenses e o Marítimo. No entanto, o clube de Alcântara recorda que se porventura esses títulos forem reconhecidos o de 1927/28 é seu em virtude de ter nascido devido à fusão em 1942 entre o Carcavelinhos e o União LIsboa.

Eis o comunicado na íntegra:

Considerando as notícias vindas a público sobre o estudo que a Federação Portuguesa de Futebol está a desenvolver sobre a génese das competições nacionais, cabe informar o seguinte:

O Atlético Clube de Portugal resultou, como é público, da fusão do Carcavelinhos e do União Lisboa, no ano de 1942. Nesses precisos termos, o palmarés desportivo dos dois clubes fundadores do Atlético foi herdado pelo nosso clube, em toda a sua dimensão.

Não discutimos até aos dias de hoje, nem o faremos, a génese do Campeonato de Portugal conquistado em 1928 pelo Carcavelinhos, mas ostentamos, com orgulho, esse triunfo.

Nessa ótica e ao contrário do que foi referido ontem, numa insinuação que repudiamos, o título de Campeão de 1927/1928 tem dono: o Atlético Clube de Portugal.

Caso a Federação Portuguesa de Futebol considere o título de 1927/1928 como sendo de Campeão Nacional, o Atlético Clube de Portugal passará a figurar entre esses campeões, tal como figura, hoje, entre os Campeões de Portugal.

O Atlético Clube de Portugal é um clube honrado, digno e que respeita os seus Fundadores: os sócios do Carcavelinhos e União Lisboa que deliberaram a sua fundação.

Quem não conhecer a nossa história e o palmarés que nos coloca entre os 10 maiores clubes do país e os 4 maiores de Lisboa, está convidado a visitar a Sala de Troféus, onde se encontra a Taça de Campeão de Portugal de 1927/1928 e o complexo desportivo da Tapadinha. Aí concorre o espírito de todos os que nos representaram, com a ambição do nosso futuro.

Salientamos, por último, que estamos ao dispor da Federação Portuguesa de Futebol e de todas as instituições desportivas nacionais para, em conjunto, analisarmos as competições do passado e, sobretudo, revermos o modelo competitivo nacional do presente e do futuro.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG