Advogado diz que suspeito do atropelamento estava a fugir da Juve Leo

Carlos Melo Alves garante que a morte do adepto italiano do Sporting foi acidental

"O meu cliente nunca matou ninguém". Foi com estas palavras que o advogado Carlos Melo Alves reagiu, esta quinta-feira, ao facto de Luís Miguel Pina estar indiciado por homicídio simples, por ter atropelado o adepto italiano do Sporting Marco Ficini nas imediações do Estádio da Luz.

Falando à saída das instalações da Polícia Judiciária, em Lisboa, onde Luís Miguel Pina se encontra detido até ser presente a juiz, o advogado afirmou que a sua "estratégia é a da verdade. Foi um acidente".

Depois, em declarações ao jornal Público, foi mais longe: Luís Miguel Pina "contou-me que vinha embora do estádio quando foi obrigado a parar, porque adeptos da Juve Leo lhe atingiam o carro com pontapés e barras de ferro. A viatura ficou toda amolgada".

"Teve de fugir e, na fuga, aconteceu o acidente", acrescentou o advogado.

Aos jornalistas à porta da PJ, o jurista ainda recusou a ideia de que o seu cliente estivesse fugido da polícia. "Ele não estava em fuga, porque nem mandado de detenção havia", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG