Académica e Benfica processam diretor de comunicação do Sporting

Em causa declarações de Nuno Saraiva sobre alegada combinação do resultado entre a equipa B dos encarnados e os estudantes

A SAD do Benfica e a Académica vão acionar judicialmente o diretor de comunicação do Sporting, Nuno Saraiva. Em causa estão as declarações daquele dirigente na Sporting TV, que terá sugerido que a equipa B dos encarnados terá facilitado no jogo com a Académica, no Seixal, que a Briosa venceu esta sexta-feira por 4-0, em troca de votos na Liga.

"As suspeitas e evidências do polvo do Benfica é algo que extravasa muito as paredes do Estádio da Luz. Tivemos nos últimos tempos um episódio que me causou preocupação e sobre o qual fiquei à espera do dia de hoje para perceber o que queria dizer. Quando a Académica foi jogar a Alcochete, há duas semanas, com o Sporting B [2-2], houve um sururu no final com um dirigente da Académica que será facilmente identificado nas imagens. Não estava lá mas foi-me relatado que, depois, o próprio presidente da Académica dirigiu-se ao treinador do Sporting B, Luís Martins, e disse-lhe: "Isto é uma vergonha, tanto anti-jogo. Se vão acabar com a equipa B nem se percebe o facto de não facilitarem. Depois vão querer os nossos votos para a AG da Liga. Daqui a 15 dias vamos ao Seixal e vamos ganhar fácil. Depois queixem-se. Houve um outro dirigente que disse o mesmo ao Virgílio Lopes. O delegado da Liga, o sr. Sérgio Ferreira, assistiu à parte inicial da conversa e depois afastou-se. A verdade é que hoje a Académica foi ao Seixal ganhar por 4-0", disse Saraiva.

Nesse sentido, os encarnados consideram tratar-se de "declarações totalmente absurdas, injuriosas e difamatórias", razão pela qual partem desde já para "processos cíveis e criminais, no âmbito da justiça desportiva e civil".

Já a Académica aproveitou em comunicado para "desmentir, lamentar e repudiar as tristes e falsas declarações do funcionário sr. Saraiva", acrescentando que encaminharam este assunto para o departamento jurídico: "Para que seja exigida a censura pública do interveniente pela violação grosseira de honorabilidade e bom nome, exigindo a reparação de todos os danos daí resultantes, que serão integralmente entregues a Instituições de Solidariedade Social."

Eis o comunicado do Benfica na íntegra:

"A Sport Lisboa e Benfica SAD determinou a instauração imediata dos competentes processos cíveis e criminais, no âmbito da justiça desportiva e civil, ao diretor de comunicação do Sporting Clube de Portugal, pela gravidade das suas afirmações em relação ao jogo realizado ontem, para o Campeonato da Segunda Liga, entre o Sport Lisboa e Benfica e a Associação Académica de Coimbra.

Declarações totalmente absurdas, injuriosas e difamatórias que ofendem a reputação das instituições em causa e de todos os profissionais dos dois clubes, e que devem merecer a máxima atenção por parte dos responsáveis das competições desportivas."

Eis o comunicado da Académica na íntegra:

"A Associação Académica de Coimbra/OAF, não obstante as boas relações existentes com o Sporting, com o seu Presidente, com a sua Direcção e demais Órgãos Sociais, não pode deixar de desmentir, lamentar e repudiar as tristes e falsas declarações do funcionário sr. Saraiva.

A AAC/OAF não confunde o Sporting Clube de Portugal, os seus representantes ou adeptos, por quem tem todo o respeito, com o funcionário sr. Saraiva.

A AAC/OAF tem cento e trinta anos de História. Cento e trinta anos de honra, de respeito, de luta pela democracia, pela liberdade, pela liberdade de expressão, pela verdade e pela verdade desportiva.

A AAC/OAF acredita que a grandeza das instituições não se esgota na quantidade de adeptos, de vitórias ou de títulos conquistados. Temos muito orgulho em todas as vitórias e em todos os títulos.

Temos muito orgulho em todos os que representam e representaram a Académica e em todos os nossos sócios e adeptos. Foram eles que, dentro e fora de campo, construíram a nossa bela História, que faz da AAC/OAF não apenas grande, mas enorme.

Pela nossa História, pelo nosso passado e pelos valores que nos orientam no presente, não podemos admitir a subserviência ou servir propósitos profissionais do funcionário Saraiva e dos seus ataques a outros clubes.

Somos maiores do que isso. Exigimos respeito. Demarcamo-nos dessas guerras e dessas atitudes. Tratamos com igual respeito e educação todos os clubes e, por isso, exigimos o mesmo tratamento.
A Académica não admite que seja retirado brio ou mérito às suas vitórias.

A Académica, o seu presidente e os seus dirigentes, porque prezam a honra e dignidade desta Instituição, a verdade e a verdade desportiva, encaminharam este assunto para o departamento jurídico para que, nos meios próprios, seja exigida a censura pública do interveniente pela violação grosseira de honorabilidade e bom nome, exigindo a reparação de todos os danos daí resultantes, que serão integralmente entregues a Instituições de Solidariedade Social."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG