Zurbarán é convidado de honra do Museu de Arte Antiga

O quadro do pintor pode ser visto no MNAA a partir desta quinta-feira e até 12 de janeiro.

Frei Pedro Machado, teólogo do convento Mercedário de Burgos, é um dos protagonistas da Mostra Espanha 2019. O retrato que dele pintou o artista Francisco de Zurbarán é a obra convidada do Museu Nacional de Arte Antiga a partir desta quinta-feira e até 12 de janeiro de 2020.

O quadro "é proveniente da livraria do Convento de La Merced de Sevilha e integrava um conjunto de onze pinturas representando religiosos da Ordem", segundo informação divulgada pelo museu das Janelas Verdes. Terão sido pintadas cerca de 1630.

Cinco quadros desta série foram confiscados por Manuel Godoy [primeiro-ministro espanhol] durante o período das invasões napoleónicas, em 1802. Passaram, em 1816, a fazer parte da coleção da Real Academia de Bellas Artes de San Fernando em 1816. Um deles é justamente este retrato de Frei Pedro Machado.

Francisco de Zurbarán (1598-1664) ganhou fama com as suas pinturas de homens importantes da hierarquia da Igreja - retratos como aquele que pintou de Frei Pedro Machado, um pouco maiores do que o natural e com fundos neutros. Chamavam-lhe o Caravaggio espanhol.

A sua história cruza-se com um momento de importante ligação de Espanha com Portugal. Foi nomeado por Filipe IV de Espanha, III de Portugal. Em 1640, ano da restauração da independência de Portugal e de inúmeras revoltas nas províncias espanholas, deixa de ser pintor real e a sua popularidade decai. Em 1644, quando se casa pela terceira vez com uma viúva abastada, muda-se para Madrid e retoma o contacto com Velásquez.

Este quadro pode ser visto a partir desta quinta-feira, às 18:00, no Museu de Arte Antiga e faz parte do programa de atividades culturais que têm lugar em vários pontos de Portugal visando mostrar o que vêm desenvolvendo as indústrias culturais de Espanha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG