Premium Um retrato inesperado. Em Cabul as raparigas do skate não choram

Vencedor do Óscar de melhor documentário em curta-metragem, Learning To Skateboard In a Warzone (If You"re a Girl) estreia esta sexta-feira nos canais TVCine. Um esperançoso olhar feminista sobre uma realidade escondida na capital do Afeganistão.

Estamos muito longe de Los Angeles ou Nova Iorque, cidades que respiram o skate. É numa paisagem improvável, Cabul, que um grupo de meninas aprende a colocar-se em cima da prancha de rodas e a sentir algo parecido com o sabor da liberdade, mesmo que confinadas ao ambiente fechado de um pavilhão. Não o podem fazer na rua, debaixo do sol, como aconteceria em qualquer lugar do mundo, porque têm de se manter longe das vistas. Mas essa limitação dos preceitos culturais pouco ou nada altera o espírito das aprendizas. "Não quero crescer, para poder andar de skate para sempre", diz uma delas. E é possível ler a felicidade nos seus rostos, apesar do dia-a-dia tomado pelo medo das explosões numa zona de conflito.

Learning To Skateboard In a Warzone (If You"re a Girl) - em tradução literal, Aprender a Andar de Skate numa Zona de Guerra (Se és uma Rapariga) - vai ao Afeganistão recolher um retrato inesperado. Este documentário de 40 minutos (TVCine Edition, 22.00) é a janela aberta para uma realidade que traz um brilho de esperança ao cenário devastado de um país onde a maioria das mulheres não aprende a ler e são muitas vezes forçadas a casar prematuramente. A lente da realizadora Carol Dysinger começa por percorrer algumas ruas, captando os olhares masculinos que parecem desconfiar dessa presença "estranha", de uma mulher atrás da câmara, mas o que lhe interessa aqui filmar é a dinâmica da turma de raparigas que, para além do skate, estão a aprender a ler e a escrever. Trata-se de mostrar a ação de uma organização internacional de ensino sem fins lucrativos - o Skateistan -, espécie de segredo bem guardado algures em Cabul, que visa ajudar crianças pobres a aceder ao sistema da escola pública.

Ler mais