Tim, Agir e Jorge Palma em abaixo-assinado pela biodiversidade brasileira

Músicos portugueses juntam-se a artistas brasileiros e não só num apelo a Guterres, Biden e Von der Leyen num manifesto que tem como um dos autores o eurodeputado Francisco Guerreiro.

Os músicos portugueses Tim (Xutos e Pontapés), Agir, Jorge Palma, João Gil ou Rogério Charraz são cinco dos signatários de um abaixo-assinado pela defesa da biodiversidade do Brasil que já reúne quase 17 mil assinaturas no site change.org. Um dos autores do texto do manifesto é o eurodeputado Francisco Guerreiro (Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia).

A iniciativa "pare pelo meio ambiente" vai decorrer online este sábado, a partir das 20.00 em Portugal.

O abaixo-assinado alerta para a destruição da Amazónia, a devastação do Pantanal ou os riscos da exploração petrolífera do arquipélago de Fernando de Noronha e tem como destinatários o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, o presidente dos EUA, Joe Biden, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o presidente do Mercosul, o chefe de Estado argentino Alberto Fernández.

"Convidamos os líderes mundiais, especialmente na União Europeia e nos EUA, a reconsiderarem qualquer acordo comercial com o Brasil, enquanto as disposições ambientais, entre as quais a desflorestação na Amazônia e o aumento das emissões de CO2 e metano, não forem suficientemente fortes, exequíveis e vinculativas", diz o abaixo-assinado, que é também da autorida do deputado brasileiro David Miranda e da presidente da Agência de Notícias de Direitos Animais Silvana Andrade.

"O Brasil de hoje tornou-se assim um pária do clima e do ambiente. Porém, precisamos incluir o Brasil nos esforços globais se quisermos alcançar os objetivos climáticos", lê-se no documento, lembrando que apesar de o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, se ter comprometido com a neutralidade das emissões até 2050 "é necessário que as palavras resultem em ações concretas".

O abaixo-assinado conta com o apoio de vários artistas portugueses e brasileiros, como Caetano Veloso, Xuxa, Bruna Lombardi ou Anitta, mas também, por exemplo, com a assinatura do cineasta norte-americano Oliver Stone. Além disso é assinado por eurodeputados, jornalistas, ativistas dos direitos humanos e de defesa dos povos indígenas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG