Teatro Maria Matos reabre em abril com a Força de Produção

Encerrado há quase dois anos, o teatro lisboeta vai ser concessionado pela Câmara a uma empresa privada, após concurso público.

A empresa Força de Produção venceu a consulta pública para a concessão do Maria Matos Teatro Municipal, em Lisboa, anunciou na quinta-feira a autarquia.

De acordo com o comunicado da Câmara de Lisboa, no próximo dia a 27 de março, no Dia Mundial do Teatro, a produtora dará uma conferência de imprensa, no local, para anunciar a programação daquele teatro na avenida Frei Miguel Contreiras e só nessa altura estará disponível para prestar todos os esclarecimentos.

"Com a reabertura do Teatro Maria Matos, fica concluída a reorganização da rede municipal de teatros da cidade, que passa assim a ter uma oferta cultural mais abrangente e diversificada, em diversos locais da cidade e para vários tipos de público", acrescenta o comunicado da câmara.

A Força de Produção é uma produtora teatral que está envolvida em êxitos recentes como o musical Chicago (em cena no Teatro da Trindade), Depois do Medo (o espetáculo de stand-up de Bruno Nogueira), Casal da Treta (com Ana Bola e Jorge Mourato) ou Mais Respeito Que Sou Tua Mãe (com Joaquim Monchique).

A decisão de concessionar o Maria Matos a privados foi anunciada em dezembro de 2017, pela vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, no âmbito do projeto de remodelação da rede de teatros municipais. Apesar de toda a contestação, o concurso público realizou-se nos prazos previstos: a 3 de julho de 2018 foi anunciado que a gestão do teatro seria entregue à Força de Produção, mas a Yellow Star Company, classificada em segundo lugar, recorreu dessa decisão, rementendo a decisão final para o Tribunal Administrativo de Lisboa. O processo arrastou-se até agora.

A rede de teatros municipais de Lisboa integra o Lu.Ca - Teatro Luís de Camões, com uma programação dedicada ao público infantojuvenil, o Teatro São Luiz e o Teatro do Bairro Alto .Através de outros modelos de gestão, recorda o comunicado, esta rede é também composta por cinco espaços cedidos a companhias de teatro (Teatro Aberto, Galeria da Mitra, Teatro da Comuna, Teatro Cinearte - A Barraca e Teatro Taborda), e dois teatros arrendados a projetos artísticos selecionados por consulta pública (Cineteatro Capitólio e Teatro Maria Matos).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG