Taylor Swift arranjou forma de detetar perseguidores nos seus concertos

Já foi feito um teste à tecnologia durante um ensaio, mas não são conhecidos os resultados

A cantora norte americana Taylor Swif vai usar um sistema de reconhecimento facial, que consegue atingir quase dois mil quilómetros de distância, durante um concerto no estádio Rose Bowl, em Los Angeles (Califórnia), em maio de 2018. O objetivo é evitar a proximidade de Taylor com pessoas identificadas como seus perseguidores, segundo o site Quartz.

O método já foi testado durante num ensaio para um concerto, em que foram gravados os rostos dos espetadores e transmitidos para um "posto de comando" em Nashville, no Tennesse. Neste local, as imagens eram comparadas com os rostos de perseguidores conhecidos de Taylor Swift. No entanto, não são conhecidos os resultados da experiência - se foram ou não identificados os perseguidores da cantora.

Todas as pessoas que passavam ali paravam para olhar e o software começava a funcionar", explicou Mike Downing da empresa de segurança de espetáculos de entretenimento Oak View Group, citado pelo Quartz.

Esta tecnologia pode ser utilizada, porque os locais onde decorrerão os concertos são privados e os seus proprietários podem permitir o tipo de segurança que considerarem necessário.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG