"Succession", "The Power of the Dog" e primeira Melhor Atriz transexual vencem

Cerimónia sem transmissão televisiva depois de notícias sobre práticas questionáveis, conflitos éticos, comportamentos inapropriados dos membros da associação, e problemas de diversidade e inclusão.

A 79.ª edição dos Globos de Ouro fez história ao entregar a estatueta de Melhor Atriz em série dramática à transexual Michaela Jaé Rodriguez, numa edição sem cerimónia televisiva que distinguiu "Succession", "The Power of the Dog" e "West Side Story".

Os prémios foram anunciados através das redes sociais e na página da Internet da Associação da Crítica Estrangeira em Hollywood (HFPA), sem transmissão porque a associação está debaixo de fogo em Hollywood.

Michaela Jaé Rodriguez recebeu o Globo de Ouro para Melhor Atriz em série dramática pelo seu papel em "Pose", título da FX que terminou na terceira temporada.

Na contabilidade de estatuetas, "Succession", da HBO, sobressaiu com a conquista de três globos por Jeremy Strong, Melhor Ator em série dramática, Sarah Snook, Melhor Atriz Secundária em televisão, e o muito cobiçado Melhor Série Dramática.

A comédia "Hacks", também da HBO, levou o título de Melhor Série Musical ou Comédia e a protagonista Jean Smart foi a Melhor Atriz em série musical ou comédia.

Nos filmes, "The Power of the Dog" foi o grande vencedor, levando o globo para Melhor Filme Dramático e dando a Jane Campion a estatueta de Melhor Realização, bem como Melhor Ator Secundário em Filme para Kodi Smith-McPhee.

A versão de Steven Spielberg de "West Side Story" também levou três Globos de Ouro, mas na categoria de musicais -- Melhor Filme Musical ou Comédia, Melhor Atriz em Filme Musical ou Comédia (Rachel Zegler) e Melhor Atriz Secundária em Filme (Ariana DeBose).

Já Will Smith ganhou Melhor Ator em Filme Dramático por "King Richard", Nicole Kidman foi Melhor Atriz em Filme Dramático por "Being the Ricardos" e Andrew Garfield foi o Melhor Ator em filme musical ou comédia por "Tick, tick... Boom!".

Quanto ao Argumento, o filme distinguido foi "Belfast".

"Encanto", filme dos estúdios Walt Disney que teve a participação do artista de iluminação luso-americano Afonso Salcedo, venceu o globo para Melhor Animação.

O sucesso da Netflix "Squid Game" deu a O Yeong-su o globo para Melhor Ator secundário em televisão e "The Underground Railroad", da Amazon Studios, foi a Melhor Minissérie.

Kate Winslet levou a estatueta pelo seu papel em "Mare of Easttown", sendo Melhor Atriz em minissérie, e Michael Keaton ganhou Melhor Ator em minissérie com "Dopesick", da Hulu.

A ausência de celebridades na cerimónia e de uma transmissão televisiva deve-se ao escândalo que caiu sobre a HFPA em 2021, depois de um processo legal e uma investigação do jornal Los Angeles Times terem trazido para a ribalta práticas questionáveis, conflitos éticos, comportamentos inapropriados dos seus membros, e problemas de diversidade e inclusão.

O início do fim?

Não houve passadeira vermelha nem transmissão dos prémios online,que decorreram em Los Angeles, Estados Unidos, sendo que nenhuma celebridade aceitou apresentar nesta entrega de prémios, que até ao ano passado era uma das mais importantes na temporada pré-Óscares.

A HFPA esperou até à primeira semana de janeiro para anunciar que haveria apenas um evento privado e sem cobertura jornalística a partir do hotel Beverly Hilton. Quem apresentou os prémios foram trabalhadores de organizações sem fins lucrativos que a associação apoia.

Em Hollywood, especula-se se este será o fim da entrega de prémios que começou em 1944, já que a cadeia de televisão NBC deixou cair a transmissão, gigantes como a Netflix e Amazon Studios cortaram relações com a associação, tal como publicistas, e mesmo os nomeados deste ano não reagiram às indicações.

"Em outubro, a HFPA admitiu a sua composição mais extensa e diversa até ao momento, com 21 novos jornalistas, todos eleitores dos Globos de Ouro pela primeira vez", acrescentou.

Durante o evento privado, a HFPA mostrou um vídeo em que a atriz Jamie Lee Curtis elogiou o apoio da associação a organizações sem fins lucrativos, colocando-o depois nas suas redes sociais.

Líderes da HFPA e da NAACP (National Association for the Advancement of Colored People) também anunciaram uma parceria e convidaram a indústria a "juntar-se a uma coligação nova e diversa que vai apoiar uma representação mais equitativa dos criadores na comunidade".

No entanto, as garantias de completa reestruturação da associação não convenceram estúdios e celebridades, que trataram tudo o que rodeia os Globos de Ouro deste ano como um acontecimento tóxico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG