Sting em Vigo. Um passeio no parque

Após dois anos de pandemia, Sting não falha encontro prometido e dá concerto de antologia na cidade galega.

Foi um verdadeiro passeio no parque. Ao longo de praticamente duas horas, Sting levou pela mão e pela música os milhares que o esperavam no auditório ao ar livre de Parque Municipal de Castrelos, em Vigo, a revisitar os seus maiores sucessos.

Este sábado, 6 de agosto, era há muito aguardado. Depois de dois anos de ausência forçada pela pandemia e de um concerto adiado, o ex-Police cumpriu o prometido e veio mesmo ao encontro dos galegos, pela primeira vez. Num espetáculo muito especial, promovido pelo Ayuntamiento e integrado nas festas da cidade.

Os bilhetes para os lugares sentados, que foram postos à venda online em julho, desapareceram em poucas horas. Não só porque eram poucos (cinco mil), como custavam a módica quantia de 12 € , coisa rara hoje em dia... Porém, quem não conseguiu comprar, não deixou de poder ver e ouvir o músico britânico. Castrelos é um parque público e os que não tiveram sorte de uma boa localização, puderam pelo menos circular à vontade pelo recinto ou optar por acompanhar pelos ecrãs. E foram muitos os que o fizeram. Tantos que Abel Caballero, o alcalde, estava exultante: "Vai ser uma noite memorável!", disse quando subiu ao palco para agradecer a Sting ter mantido o compromisso de cantar em Vigo. Na imprensa local, os números apontam para 30 mil pessoas. Caballero falou em 80 mil. Matemáticas à parte, foi um concerto em grande.

Naquela que foi a penúltima paragem em Espanha da sua mais recente digressão "My Songs", Sting abriu com Message in a Bottle, dando assim início a um passeio pelo virtuosismo da sua arte.

Aos primeiros acordes inconfundíveis de Englishman in New York, a multidão já vibrava: máscaras (poucas) fora da cara para melhor acompanhar as canções, palmas, braços no ar e dança juntavam novos e velhos numa mesma energia quase de catarse.

Em velocidade de cruzeiro "el maestro" - como alguém lhe chamou - continuou com If it's love, For her Love (versão em castelhano) Rushing Water, todas do seu último trabalho, The Bridge.

Mas, o povo queria clássicos e Sting, fez-lhe a vontade. Numa sucessão imparável do seu repertório a solo ou do tempo dos Police, o cantor e os músicos de excelência que o acompanham - o incontornável Dominc Miller à cabeça na guitarra solo - percorreram muitas das canções que são verdadeiras bandas sonoras da vida muita gente: Fields of Gold, Brand New Day, Shape of my Heart, Walking on the Moon, So Lonely, Desert Rose, King of Pain e Every Breath you Take. Com a audiência totalmente rendida, Sting encaminhava-se para o fim deste seu passeio pelo Parque de Castrelos. Mas... ni hablar. Mais palmas e cânticos trouxeram-no de novo ao palco. Roxanne e Fragile foram os dois encores da despedida.

Um grande final que pôs alguns dos milhares que abandonavam o Parque de Castrelos, já passava da meia-noite, a publicar logo de seguida fotos e vídeos nas redes sociais com a mesma legenda: "Sting, en Vigo. Conciertazo!"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG