"Se voasse conseguia ver tantas paisagens, tantas perspetivas, tantas pessoas"

O famoso questionário respondido pelo ator e realizador Eduardo Breda.

A sua virtude preferida?
Integridade.

A qualidade que mais aprecia num homem?
Proatividade.

A qualidade que mais aprecia numa mulher?
Proatividade.

O que aprecia mais nos seus amigos?
Honra/otimismo/criatividade.

O seu principal defeito?
Teimosia.

A sua ocupação preferida?
Fotografia, leitura, desporto.

Qual é a sua ideia de "felicidade perfeita"?
​​​​​​​Ver concretizadas as minhas ambições profissionais, numa manhã de sol, num longo pequeno-almoço entre amigos e música.

Um desgosto?
Não saber falar italiano.

O que é que gostaria de ser?
Escultor, designer. Tantas coisas.

Em que país gostaria de viver?
Nunca vivi fora de Portugal, deve ser uma experiência enriquecedora. Acho que me sentiria em casa se estivesse num país livre, democrático e com a nossa diversidade gastronómica.

A cor preferida?​​​​​​​
Midnight blue.

A flor de que gosta?
​​​​​​​Girassol.

O pássaro que prefere?
Vidua macroura.

O autor preferido em prosa?
Recentemente descobri o Rubem Fonseca, tem sido incrível. Mas ando curioso para ler a Lygia Fagundes Telles.

Poetas preferidos?
Alexandre O"Neill, Adília Lopes.

O seu herói da ficção?
Ulisses.

Heroínas favoritas na ficção?
Kamala Khan.

Os heróis da vida real?
Todas as pessoas que dedicam o seu tempo para uma sociedade mais educada, consciente, democrática.

As heroínas históricas?
Joana d"Arc.

Os pintores preferidos?
Ui.. consigo nomear?... Paula Rego, Helena Almeida, Amadeo de Souza-Cardoso, Júlio Pomar... (uma lista de nomes que jamais terá um fim).

Compositores preferidos?
Bernardo Sassetti , Ígor Stravinski, Nina Simone.

Os seus nomes preferidos?
Taís, Omar.

O que detesta acima de tudo?
Xenofobia.

A personagem histórica que mais despreza?
Kim Jong-il.

O feito militar que mais admira?
Recentemente descobri a estratégia usada na Batalha de Montes Claros.

O dom da natureza que gostaria de ter?
Se voasse conseguia ver tantas paisagens, tantas perspetivas, tantas pessoas.

Como gostaria de morrer?
Qualquer coisa rápida, sem dor. Pelo menos era assim que em criança dizia a mim mesmo quando tinha de ir à garagem.

Estado de espírito atual?
Ansioso.

Os erros que lhe inspiram maior indulgência?
Os que melhoram a nossa compreensão sobre a vida em sociedade. Os que depois procuram um diálogo.

A sua divisa?
Escuta. Escuta. Age.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG