Salvador Sobral conquista fãs em Madrid

Na 16.ª Mostra da Cultura portuguesa em Espanha, Salvador Sobral foi a grande figura da noite em que dedicou Amar pelo dois a uma fã que voara de Bruxelas para Madrid apenas para o ver

"Tem tudo para ser um grande artista, o próximo Caetano Veloso", diz Beatriz (Bicu, para os amigos), à saída do Teatro Nuevo Apolo de Madrid depois de assistir ontem ao primeiro dos dois concertos de Salvador Sobral na capital espanhola.Não sendo fã do festival de Eurovisão, no ano passado, por acaso, viu ao artista português ganhar o concurso e desde então que o segue. Para o concerto de ontem, comprou o s bilhetes logo no Natal passado e o investimento foi dado por bem empregue. "Adorei, foi uma grande surpresa para mim. Foi um dia difícil, fui despedida do trabalho e vinha ao concerto sem vontade, mas foi espetacular", conta ao DN. "Depois de Eurovisão criticaram a sua imagem mas ele estava doente. Agora, já saudável, vimos outra imagem dele, divertido, elegante", defende Bicu, assumindo-se agradavelmente surpreendida com a boa disposição em palco.

Ontem o teatro, com capacidade para quase 1.200 pessoas, estava cheio. Muitos espanhóis e alguns portugueses numa plateia onde também não faltava quem falasse francês ou inglês, quem ainda frequentasse escola ou quem já gozasse a reforma. A familia López foi toda ao concerto, o casal e os seus três filhos. "Conhecemos ao Salvador no festival de Eurovisão e desde então acompanhamos a sua música. Este concerto foi sublime, tem uma voz espetacular", sublinha a mãe Paula, a mais nova da família, com 11 anos, não se importa de dormir menos que de costume para ir à escola. "Gostei muito, sobre tudo quando ele tocou o piano", diz. O senhor López destaca a forma de cantar de Salvador - "parece que está a falar mas está a cantar" - e todos concordavam nas únicas críticas - o concerto pareceu "curto" e na falta de "temas do seu último disco". E para as recordações ficou a homenagem que o português fez ao Joaquim Sabina ao cantar Pongamos que hablo de Madrid e, inevitavelmente, o momento em que pela primeira vez ouvir Amar pelos dois ao vivo. Salvador Sobral dedicou a música vencedora do Eurovisão 2017 a uma espetadora "que veio desde Bruxelas só para este concerto. Obrigado". E no fim da canção até desafiou o público espanhol a cantar - "não vou gozar com o vosso sotaque". O resultado, "belíssimo, perfeito".

Humor e jazz

A simpatia e o bom humor estiveram presentes durante as quase duas horas de espetáculo onde Salvador esteve acompanhado pelo pianista Júlio Resende, André Rosinha no contrabaixo e Bruno Pedroso na bateria. No início não foram precisas palavras, só a presença a música e a sua voz. E só antes de cantar o terceiro tema, Presságio (a versão de jazz do poema de Fernando Pessoa), Sobral encetou uma divertida conversa, continuada sempre após cada tema.

Guilherme Moreira, jovem português a estudar em Madrid, foi outro dos que adorou o concerto. Foi a primeira vez que ouviu Salvador ao vivo, mas nem os vídeos de youtube que já tinha visto o prepararam para anoite em que ouvi os seus temas preferidos, Presságio e Mano a Mano. "Foi uma surpresa para mim porque cada concerto é bem diferente, as suas brincadeiras, a sua conversa, ele é espetacular".

Salvador Sobral optou por um repertório da maioria dos temas do seu primeiro álbum, Excuse Me (2016). "Eu não conhecia canção nenhuma dele, além de Amar pelos dois, mas adorei", reconhece Laura, de Madrid, que acompanhou a sua amiga portuguesa ao concerto. "Fala perfeitamente espanhol, até parece andaluz (risos), é divertido e mudou muito a sua imagem, está mais giro", sublinha. E a sua música, "é diferente, improvisa de forma natural e tem uma voz maravilhosa, muito diferente", acrescenta.

Estes dois concertos em Madrid fazem parte da 16.ª Mostra da Cultura portuguesa em Espanha que conta com 60 eventos em todo o país para promover a cultura lusa. Mas ao mesmo tempo o artista português começou no passado mês de junho em Málaga a sua digressão espanhola. Já atuou em Barcelona, Valência, Cartagena e San Sebastião. Depois de Madrid será a vez de Santander, Santiago de Compostela, Huelva, Córdoba, Sevilla e Palma de Maiorca para finalizar, a 23 de novembro. No próximo dia 4 de novembro Sobral voltará à capital espanhola acompanhado por Júlio Resende, para fechar o Festival de Poesia de Madrid com uma atuação do grupo Alexander Search, de que faz parte, inspirado no heterónimo de Fernando Pessoa.

Exclusivos