Recolhidas partes do avião de Marília Mendonça para investigação

Um dos motores da aeronave estava a 200 metros do local onde ela se despenhou.

Os dois motores do avião onde seguia Marília Mendonça já foram encontrados e estavam em locais diferentes do ponto onde se deu a queda que matou a cantora sertaneja na sexta-feira. De acordo com o site G1, um dos motores estava a 200 metros da aeronave, no meio da mata.

Os peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) chegaram ao local do acidente logo do sábado e usaram um drone para registar imagens aéreas da zona.

Todos os vestígios que se encontravam dentro do avião também já foram retirados para posterior análise. O bimotor será levado para o aeroporto onde deveria ter aterrado, a cerca de dois quilómetros do local do acidente, onde será analisado.

Ao G1, um responsável do CENIPA adiantou que o avião não tinha caixa negra, explicando que "essa aeronave não requer caixa negra".

Os pertences de Marília Mendonça retirados do avião - entre os quais documentos, telemóveis, carteira, uma guitarra e uma agenda com anotações - foram entregues aos advogados da cantora sertaneja.

"Não chegámos a ler, está muito molhado, evitámos abrir para não estragar. Vamos esperar que seque para ter acesso. A família vai querer essas lembranças. Recuperámos alguns telemóveis. Alguns telemóveis intactos. E o que mexeu connosco é que o telemóvel de uma das pessoas estava intacto e tinha várias mensagens do pai e de amigos", contou Maurício Carvalho, advogado da família de Marília Mendonça, citado pelo G1.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG