Peter Murphy sofreu um ataque cardíaco

A informação foi dada pelo agente que referiu que o músico foi transportado para um hospital de Nova Iorque com dificuldades em respirar.

O músico Peter Murphy, de 62 anos, sofreu um ataque cardíaco e foi levado na terça-feira de urgência para o Lenox Hill Hospital, em Nova Iorque. A informação foi conhecida esta quarta-feira através do agente do músico referindo que Peter Murphy foi transportado para o hospital com dificuldades em respirar.

De acordo com Jason Song, cardiologista do Lenox Hill Hospital, onde Peter Muphy se mantém internado esta quarta-feira, o músico britânico está a receber medicação ajustada ao caso clínico, estando sob monitorização.

Os concertos que o vocalista dos Bauhaus tinha agendados para dia 15, quinta-feira, e 19 de agosto, foram cancelados. As restantes datas foram adiadas para dias a anunciar. A família de Peter Muphy agradeceu "o apoio incondicional" dos fãs nesta fase mais delicada do artista. "Esperamos que Peter volte ao palco com um coração renovado, mais forte do que antes.

No ano passado, o britânico atuou no Festival Vilar de Mouros, tendo regressado ao nosso país em novembro para concertos em Lisboa e Porto.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.