Sem Espinhas alertam para o futuro do planeta

Banda constituída para encontro da Fundação Francisco Manuel dos Santos vai dar um espetáculo para sensibilizar a situação ambiental da Terra e John Kerry também vai estar presente no encontro em Lisboa.

O encontro sobre "O Futuro do Planeta" vai reunir vários artistas num concerto único. É o que acontecerá dia 14 de setembro com a banda Sem Espinhas, constituída por Lúcia Moniz, Xana, Fred Ferreira e Rui Reininho.

A fundação pretende que a música volte a ocupar um espaço central no próximo evento, reunindo nomes consagrados da música portuguesa para o concerto que se realizará no Teatro Camões, em Lisboa, para um concerto de clássicos da canção portuguesa que de alguma forma abordem a temática do planeta e do seu futuro. A Estrela do Mar de Jorge Palma ou Anzol dos Rádio Macau são alguns dos temas escolhidos para este momento musical.

O encontro da fundação alerta para um planeta cada vez mais ameaçado pela subida das temperaturas, aumento da poluição e pelo aquecimento dos oceanos, pedindo soluções urgentes. No encontro nos dias 14 e 15 de setembro, o ex-secretário de Estado norte-americano John Kerry, a bióloga e exploradora subaquática Sylvia Earle, o ecologista Carl Safina, o escritor Paul Theroux, além de muitos outros especialistas nacionais e internacionais.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.