Exclusivo "Os portugueses de Xangai foram os nossos primeiros retornados"

Salvar, resgatar e fixar a memória dos primeiros retornados portugueses que abandonaram Xangai devido à revolução de Mao Tsé-Tung é o objetivo da mais recente investigação de um jornalista que viveu quase duas décadas na China. História em muito esquecida das franjas do império.

O título desta recuperação da História de Portugal, Os Retornados de Xangai, traz à memória o fim do império verificado com a Revolução de Abril de 1974. O autor, o jornalista António Caeiro (n.1948) explica o nome que dá a um livro em que se fixam centenas de histórias de portugueses que viveram parte das suas vidas numa China que hoje desapareceu e onde, antes de alterar radicalmente a existência destes "emigrantes", eram reconhecidos por serem exímios em profissões que eram necessárias à vida da época. Com a chegada de Mao Tsé-Tung à governação do país gigante que já era e que se reforçou após o sucesso da Grande Marcha, o fim dos anos 1940 foram de despedida para uma comunidade nacional que escolhera Xangai, principalmente, para ganhar a vida longe da metrópole. Que muitos nem conheciam, de uma língua que bastantes não falavam, mas que em nada os fazia perder a identidade portuguesa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG