Costa recorda a "forma plena de estar na vida" de Celeste Rodrigues

No Twitter, despediu-se da irmã mais nova de Amália Rodrigues, que morreu hoje aos 95 anos

O primeiro-ministro lamentou hoje a morte da fadista Celeste Rodrigues, aos 95 anos, elogiou a forma "plena e livre" de estar na vida e disse esperar que a sua voz continue "a inspirar gerações".

Numa mensagem na sua conta oficial do Twitter (twitter.com/antoniocostapm), António Costa referiu-se à irmã de Amália Rodrigues como "querida amiga", recordando a sua "forma de estar no fado, plena e livre".

"A fadista Celeste Rodrigues, minha querida amiga, deixou-nos hoje. A sua forma de estar na vida era a sua forma de estar no fado, plena e livre. Que a sua voz e o seu exemplo continuem a inspirar gerações", lê-se no 'tweet' do chefe do Governo.

Celeste Rodrigues, nascida no Fundão, em 14 de março de 1923, morreu hoje, aos 95 anos, confirmou à Lusa o neto Diogo Varela Silva.

Irmã de Amália Rodrigues, a fadista, que em maio disse à Lusa que "cantar é sempre uma alegria", iniciou a carreira há 73 anos e do seu repertório constam, entre outros temas, "A Lenda das Algas" e o "Fado das Queixas".

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.