"O objetivo do festival é recordar a música e o regresso à normalidade"

Depois de anos de pandemia, a festa da música em português regressa amanhã ao Parque Urbano da Costa da Caparica. Durante cinco dias, o evento prevê receber cerca de 150 mil pessoas.

É já amanhã que se abrem as portas do Parque Urbano da Costa da Caparica e sobem ao palco Super Bock nomes como Jimmy P, Fernando Daniel e Wet Bed Gang. Dá-se assim início para uma festa que dura até 15 de agosto, tem um dia dedicado a crianças, outro dedicado à comédia, inclui uma roda gigante e um palco para a música eletrónica .

Este ano, o Sol da Caparica volta com cinco dias de festival em vez dos habituais quatro. A crise no setor e o feriado do dia 15 de agosto levou à tomada desta decisão. "Quisemos dar oportunidade aos artistas afetados pela crise que o setor teve e optamos por fazer mais um dia para os ajudar, aproveitando o facto de ser uma segunda-feira de feriado", afirmou ao DN Zahir Assanali, CEO do Grupo Chiado e promotor do evento. "O objetivo do festival é recordar a música e o regresso à normalidade."

Relativamente às edições anteriores, o cartaz traz algumas novidades e novos estilos de músicas para a Caparica. "O grande crescimento da música urbana pode notar-se no cartaz, como por exemplo a Nenny ou a Soraia Ramos. E temos pela primeira vez uma banda reggae: os Maneva, que muito nos orgulha e falam de amor e paz",referiu Zahir Assanali.


ADN totalmente em português


O festival começou com uma capacidade para 15 mil pessoas e este ano prevê-se que 150 mil passarão pelos cinco dias do evento, no que Zahir Assanali pensa ser "a maior edição de sempre". Cerca de 60% dos festivaleiros serão portugueses, mas são vendidos cerca de 8 mil bilhetes para comunidades de outros países, desde Angola a Moçambique, Cabo Verde, Suíça, Alemanha, Argentina e México.

A música em língua portuguesa continua a ser o ADN do evento. "É o primeiro e único festival da lusofonia. Falo de todos os países de língua portuguesa, que nesta edição estão cá todos, exceto um, que é Timor. É uma marca que é nossa", explicou o promotor.

A edição de 2023 ainda não é o foco principal da equipa. Para já, o Grupo Chiado está apenas a trabalhar para a sétima edição. "Neste momento estamos mais focados em que isto seja um sucesso em todos os aspetos. Há dois anos que estamos parados e a ansiedade é tanta que o que mais nos preocupa é desfrutar os cinco dias que aí vem",disse Zahir Assanali.

Cartaz

Dia 11

Palco Super Bock

Jimmy P - 18:00

Virgul - 19:10

Clã - 20:20

Fernando Daniel - 21:30

Calema - 22:40

Wet Bed Gang - 23:50

Palco Free Now

Puro Rock - 16:40

SYRO - 17:50

Ive Greice - 19:00

Julinho Ksd - 20:10

Miguel Angelo - 21:20

The Legendary Tigerman - 22:30

Dia 12

Palco Super Bock

Bonga - 18:00

Djodje - 19:10

Piruka - 20:20

Anna Joyce & Rui Orlando - 21:30

HMB - 22:40

Richie Campbell - 23:50

Palco Free Now

Nowhere To Be Found - 16:40

Ricky Man - 17:50

Vado Más Ki Ás - 19:00

Mão Morta - 20:10

Alcoolémia - 21:20

Dia 13

Palco Super Bock

Nuno Ribeiro- 18:00

Cuca Roseta- 19:10

Profjam - 20:20

Diogo Piçarra - 21:30

Plutónio - 22:40

Sam the Kid Com Orquestra e Orelha Negra - 23:50

Palco Free Now

Karyna Gomes - 16:40

Kady e Convidadas - 17:50

Mário Marta - 19:00

Ivandro - 20:10

Soraia Ramos & Amigos - 21:20

Branko - 22:30

Dia 14

Palco Super Bock

António Zambujo- 18:00

Mafalda Veiga- 19:10

Nelson Freitas- 20:20

Poesia Acústica - 21:30

Bispo - 22:40

Mishlawi - 23:50

Dillaz - 01:00

Palco Free Now

Dynamo - 16:40

Cláudia Pascoal - 17:50

T-Rex - 19:00

Chico da Tina - 20:10

Conjunto Cuca Monga - 21:20

Bateu Matou - 22:30

Dia 15

Palco Super Bock

Bárbara Bandeira- 18:00

Mc Don Juan- 19:10

Tiago Bettencourt- 20:20

Kevinho - 21:30

Os Quatro e Meia- 22:40

Carlão - 23:50

José Cid- 01:00

Palco Free Now

Maneva - 16:40

Gil Semedo - 17:50

Yuri NR5 - 19:00

Maninho - 20:10

Nenny - 21:20

Papillon - 22:30

mariana.goncalves@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG