Novo vídeo de Madonna com as batucadeiras de Cabo Verde. "Aprendi muito com estas mulheres"

Já foi divulgado o videoclipe de Madonna. "Batuka" foi filmado em Portugal e mostra a cantora norte-americana a cantar e a dançar ao lado das batucadeiras de Cabo Verde

"Queria homenagear a forma como conheci estas mulheres, e a nossa viagem, com uma bela experiência cinematográfica". As palavras são de Madonna sobre as batucadeiras de Cabo Verde com quem canta e dança no novo videoclipe, gravado em Portugal e divulgado esta sexta-feira. Batuka é a quarta faixa do álbum Madame X.

"Batuka finalmente chegou", avisa Madonna nas redes sociais sobre o videoclipe filmado em Portugal, nomeadamente, na praia de São Julião, perto da Ericeira. Depois de Medelin, Crave, Dark Ballet e God Control, surge agora nova canção que mostra a influência da cultura cabo-verdiana na vida da cantora norte-americana.

É em Lisboa, onde decidiu viver, que Madonna tem contacto com a nossa cultura, a sonoridade da guitarra portuguesa, o fado, mas também com a tradição de Cabo Verde, que agora ganha destaque no mais recente vídeo da estrela da música mundial. Foi o cantor Dino D' Santiago que as deu a conhecer.

Ao site Refinery29 , Madonna elogia as mulheres com quem divide protagonismo no novo vídeo. "Aprendi muito com estas mulheres", sublinha. "São tão fortes, autênticas, cheias de alma, amorosas, generosas e gentis. Não se consegue aprender isto na escola e elas ensinaram-me essas coisas", afirma.

A cantora não esconde a honra de as ter conhecido e de contar com a colaboração delas em Batuka. "É inspirador trabalhar com pessoas que tiveram de lutar, mas que ainda conseguem manifestar e partilhar alegria com todos nós", destaca.

Ao ritmo do batuque, do canto e da dança das mulheres de Cabo Verde, Madonna mostra imagens da nossa costa num videoclipe realizado por Emmanuel Adjei. Nele, a cantora mergulha na tradição e junta-se às batucadeiras, a cantar e a dançar, como se de uma jam session se tratasse. Aqui, não foram precisas coreografias elaboradas como as que Madonna já nos habituou.

"Fui completamente e totalmente inspirada por elas. Não havia necessidade de coreografia. A dança era orgânica e fluida: apenas observei-as a moverem e juntei-me a elas", descreve a norte-americana sobre como foi mergulhar na tradição cabo-verdiana com a Orquestra Batukadeiras.

No vídeo, Madonna presta uma homenagem a estas mulheres, mas também evoca as raízes do tradicional batuque de Cabo Verde, uma forma de arte dos mais pobres e dos escravos durante a época colonial. O batuku (em crioulo cabo-verdiano) chegou a ser alvo de perseguição da igreja católica, uma vez que era considerada uma forma de "rebelião dos escravos", lê-se na introdução do videclipe. "As mulheres continuaram a dançar e a cantar e o batuque vive hoje em dia".

Na entrevista ao Refinery29, Madonna explica que para as filmagens encontraram uma casa parecida com as que existem na ilha de Cabo Verde, próxima do mar. "Em vez de as encontrar num ambiente de clube noturno para as conhecer e ouvi-las tocar e, depois, ser convidada para entrar no seu círculo, escolhemos um ambiente mais natural e bonito como local de encontro, acabando por gravar num estúdio de gravação. Não foi fácil replicar o significado do nosso primeiro encontro e a forma como tudo aconteceu. Como elas me convidaram e deram-me um tambor, sentaram-me e disseram: 'junta-te a nós'", relata.

Orquestra Batukadeiras vai atuar ao vivo com Madonna

A batucadeiras "abraçaram" Madonna e convidaram-na a entrar no seu mundo. "Fizeram-me sentir extremamente bem-vinda", sublinha. Sensação que voltou a sentir durante as filmagens de Batuka. "Tentei capturar a simplicidade dessa partilha", recorda.

Ao longo dos seis minutos de videoclipe, Madonna quis mostrar a "força e a história" destas mulheres que se pode ouvir no multifacetado novo álbum da cantora. "Faz tudo parte da jornada de Madame X. Viajar para lugares, mundos e culturas diferentes, experimentando música folclórica diferente. Madame X descobre e respeita a história disso, de se inspirar e, finalmente, partilhar com o mundo", diz.

E uma das maneiras de partilhar esta tradição é também em cima dos palcos. Nos espetáculos ao vivo, Madonna vai contar com a participação da Orquestra Batukadeiras.

"Não só vou tê-las no meu espetáculo, elas vão ser o meu coro em geral", revela. Ali]as, diz a cantora, as vozes das batucadeiras fizeram-se ouvir nos coros de God Control, Like a Prayer, Come Alive, e I Rise. "Elas até dançam no meu espetáculo. É uma loucura o quão talentosas todas elas são e como estão prontas para partilhar esta experiência. Vão surpreender as pessoas, o mundo não está preparado", exclama.

Madonna vai apresentar Madame X ao vivo numa digressão mundial que arranca em setembro, nos Estados Unidos. Já a digressão europeia vai começar em janeiro de 2020 com seis concertos no Coliseu de Lisboa.

Exclusivos

Premium

Contratos públicos

Empresa que contratava médicos para prisões não pagou e sumiu

O Estado adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. o recrutamento de médicos, enfermeiros, psicólogos e auxiliares para as prisões. A empresa recrutou, não pagou e está incontactável. Em Lisboa há mais de 30 profissionais nesta situação e 40 mil euros por pagar. A Direção dos Serviços Prisionais diz nada poder fazer.