Música e cores das Filipinas em Odemira

Entre a planície, a serra e o mar, Odemira é um dos concelhos alentejanos mais procurados pelos turistas. Mas o que o Festival Terras sem Sombra ali leva este fim de semana é uma proposta muito diferente.

A música e as artes das Filipinas estarão em destaque em mais uma edição do Festival Terras sem Sombra, que se realiza este fim de semana em Odemira.

No próximo sábado, às 21.30, o pianista filipino Raul Sunico interpretará, na Igreja da Misericórdia, um concerto intitulado Geografias da Alma: Viagem ao Redor de um Piano, com um programa que inclui obras de Mendelssohn, Debussy, Chopin, Vianna da Motta, Liszt, Albéniz e Ravel,mas também peças de compositores filipinos pouco conhecidos entre nós, como George Canseco e Francisco Buencamino.

Raul Sunico já se apresentou como solista nos principais palcos da Europa, Ásia e América e atuou com orquestras de renome mundial em Moscovo, Otava, Taipé, Tóquio e Vietname, para além das principais orquestras filipinas. É autor de uma extensa discografia e mantém-se como o único pianista do mundo a tocar, numa só apresentação, tanto os quatro concertos para piano de Rachmaninoff, como os três concertos para piano de Tchaikovsky. A entrada é gratuita, estando apenas limitada pela lotação do espaço.

O programa musical da passagem do Terras por Odemira começa, no entanto, já esta 6ª feira, com o concerto A Vida na Guitarra Portuguesa, de Mariana Martins, no palco da Sociedade Recreativa São Teotoniense (às 21.30). De notar que, no ano passado, a intérprete tornou-se na primeira mulher licenciada em Guitarra Portuguesa, formada pela Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Como é habitual, este fim de semana inclui ainda ações de sensibilização para o património histórico e arquitetónico. Na 6ª feira, realizar-se-á um programa consagrado à arte, História e tradições da freguesia de São Teotónio, numa visita que parte da igreja local às 10 horas. Uma hora mais tarde, às 11h00, parte-se à descoberta dos "Tesouros da Natureza: O Medronho e os Seus Derivados", com uma visita guiada ao Museu do Medronho. Portugal é o maior produtor mundial deste fruto vermelho, rico em antioxidantes.

No sábado, às 15 horas, haverá novo passeio, desta feita com o tema "Vale de Santiago: História, Património, Tradições", com ponto de encontro na igreja paroquial de Santa Catarina. A visita será guiada pelos historiadores António Martins Quaresma e José António Falcão.

A encerrar as atividades programadas para Odemira, a 4 de setembro, domingo, realizar-se-á o passeio "Da Ponte do Sol Posto ao Pego das Pias: A Ribeira de Torgal". Com ponto de encontro marcado para o Cais de Odemira, às 9.30, a ideia é fazer um percurso ao longo do afluente do rio Mira, num troço rodeado de vegetação ribeirinha, bem estabelecida e preservada, e com interessantes espécies faunísticas e vegetais, até ao Pego das Pias.

Nesta 18ª temporada do seu já longo historial, o Terras sem Sombra prosseguirá a sua programação em Montemor-o-Novo (17 e 18 de Setembro) e Sines (22 e 23 de Outubro).

dnot@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG