Investigação do FBI concluiu que Alec Baldwin premiu o gatilho que matou mulher

O incidente ocorreu há dez meses, em outubro, durante a filmagem do filme Rust no Novo México, nos Estados Unidos. Alec Baldwin estava a ensaiar a cena com a arma que devia estar carregada com pólvora seca, mas por uma razão ainda desconhecida estava carregada com balas verdadeiras.

A investigação do FBI concluiu que a arma que Alec Baldwin disparou durante as gravações do filme Rust e que matou uma mulher, só poderia ser disparada se alguém premisse o gatilho, noticia o El País.

Esta versão contradiz a versão do ator que numa entrevista à ABC News em dezembro disse que não premiu o gatilho. "O gatilho não foi premido. Eu não premi o gatilho", disse Alec Baldwin na altura. O ator disse que a arma disparou quando ele soltou o canhão da arma.

As autoridades locais ainda não fizeram nenhuma acusação e os detetives estão à espera dos registos telefónicos de Alec Baldwin como parte de investigação.

O incidente ocorreu há dez meses, em outubro, durante a filmagem do filme Rust no Novo México, nos Estados Unidos. Alec Baldwin estava a ensaiar a cena com a arma que devia estar carregada com pólvora seca, mas que por uma razão ainda desconhecida estava carregada com balas verdadeiras.

A vítima mortal foi a diretora de fotografia Halyna Hutchins, de 42 anos, tendo os disparos ferido também o realizador do filme, Joel Souza, de 48, que foi admitido na unidade de cuidados intensivos do centro médico Christus St. Vincent, nos arredores de Santa Fé, no estado do Novo México, sudoeste dos Estados Unidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG