Um circo luso-brasileiro na corrida para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro

"O Grande Circo Místico", de Cacá Diegues, é uma produção luso-brasileira e conta com a participação de atores portugueses como Nuno Lopes

O Grande Circo Místico, do realizador Cacá Diegues, é o filme candidato pelo Brasil à nomeação para o Óscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira, no próximo ano.

O anúncio foi feito na terça-feira pela Academia Brasileira de Cinema e a longa-metragem de Diegues foi escolhida entre 22 títulos. "Foi uma discussão de duas horas, com filmes muito interessantes, mas finalmente chegamos a uma conclusão. O mundo precisa de um pouco de poesia e magia, e o filme do Cacá vai fazer isso muito bem", declarou a produtora Lucy Barreto, que presidiu a comissão especial de seleção

O argumento é baseado num poema surrealista de Jorge de Lima e a banda sonora é de Chico Buarque e Edu Lobo. O filme começa com o encontro entre uma bailarina, vivida pela atriz Bruna Linzmeyer, e um médico, interpretado por Rafael Lozano. O Grande Circo Místico conta a história de 5 gerações de uma mesma família circense. Da inauguração do Grande Circo Místico em 1910 aos dias de hoje, acompanharemos, através de Celavi, o mestre de cerimónias que nunca envelhece, as aventuras e os amores dos Kieps, do apogeu à decadência, até ao surpreendente final, num filme em que realidade e fantasia se encontram num universo místico. Além de Bruna Linzmeyer e Rafael Lozano, no elenco encontramos atores brasileiros como Mariana Ximenes, Jesuíta Barbosa, Juliano Cazarré, Marco Frota e António Fagundes, e ainda o francês Vincent Cassel.

O filme, inteiramente rodado em Portugal e co-produzido pela Fado Filmes, conta também com a participação dos atores portugueses Nuno Lopes, Luísa Cruz e Albano Jerónimo, entre outros.

Esta co-produção Luso-Brasileira foi exibida no Festival de Cannes (França) e no Festival de Gramado (Brasil). O Grande Circo Místico estreia no Brasil a 15 de novembro e estreará em Portugal a 3 de janeiro de 2019, através da Nos Audiovisuais, revela em comunicado a Zero em Comportamento.

Os indicados ao prémio serão revelados no dia 22 de janeiro e a cerimónia dos Óscares 2019 será a 24 de fevereiro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.