Revelados erros na série "Os Simpsons"

Alguns colaboradores da sitcom não se terão apercebido das falhas antes de os episódios terem ido para o ar

Se costuma seguir a série Os Simpsons, certamente conhece as aventuras da família amarela mais famosa da televisão. A série, que gira em torno de Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie, estreou em 1989 nos Estados Unidos e hoje já se tornou na série de animação com o maior número de episódios.

De acordo com a BBC, o produtor executivo da sitcom, Matt Selman, divulgou no Twitter erros que podem ter passado despercebidos a muitos espetadores. Numa cena de flashback do episódio "And Maggie Makes Three", quando Marge avisa Homer de que está grávida de Maggie, é possível ver uma foto da filha mais nova do casal.

Houve quem comentasse a publicação do produtor executivo da série, argumentando que a imagem em questão mostra a Lisa quando ainda era bebé.

Mas Maggie não é a única personagem que aparece "a mais" no flashback. Posteriormente, quando Marge diz a Homer que está grávida de Lisa, é possível ver uma foto da criança-prodígio da família quando ela ainda não era nascida.

Num outro episódio, é mostrada uma cena com Lisa ainda bebé, e por detrás de Homer podemos ver uma imagem dela tal como se apresenta hoje em dia.

A atriz Yeardley Smith, que dá voz à Lisa Simpson, também comentou a descoberta de Matt Selman.

Alguns fãs consideram que a série também previu o futuro, como aconteceu com a eleição de Donald Trump para presidente dos EUA (num episódio transmitido em 2000) ou a compra da Fox pela Disney (conforme foi mostrado em 1998).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).