Queer Lisboa começa com "Diamantino"

Arranca esta sexta-feira a 22ª edição do Queer Lisboa, festival de cinema de temáticas LGBT; o certame terá um prolongamento, no Porto, na segunda semana de outubro

Criado em 1997, o Queer Lisboa é hoje o mais antigo festival de cinema da cidade de Lisboa. E a 22ª edição aí está, desta sexta-feira até 22 de setembro, com uma agenda multifacetada de filmes de temáticas LGBT, das longas-metragens de ficção às memórias documentais (com sessões no cinema São Jorge e na Cinemateca). Cerca de um mês mais tarde, pela quarta vez, terá lugar o Queer Porto (10/14 outubro).

A abertura do festival (hoje, 21:00) faz-se com uma produção de raiz portuguesa, Diamantino, filme de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt que, em maio, em Cannes, obteve o Grande Prémio da Semana da Crítica. Eis um vídeo global de apresentação do certame.

De acordo com um texto oficial de apresentação, esta edição do festival procura refletir o "crescente experimentalismo" que marca o atual momento da cultura queer. Tal opção liga-se, em particular, à abordagem das problemáticas associadas ao VIH/sida, através de um ciclo genericamente intitulado "O vírus-cinema: cinema queer e VIH/sida". Para além dos filmes, tais problemáticas refletir-se-ão no lançamento de um livro e numa exposição patente na Galeria Foco.

Para além das várias secções competitivas (longas e curtas metragens, documentário e Queer Art), o festival apresenta uma secção de panorama com alguns títulos que, noutros certames e nos mercados internacionais, têm abordado o universo LGBT. Dois destaques serão o filme francês L"Amour Debout, de Michäel Dacheux, e Desobedience, produção de língua inglesa, dirigida pelo chileno Sebastián Lelio, com Rachel Weisz e Rachel McAdams nos papéis principais. Ainda no panorama, serão exibidas três recentes curtas-metragens queer de origem portuguesa: Anjo, de Miguel Nunes, Flores, de Jorge Jácome, e Self Destructive Boys, de André Santos e Marco Leão.

O documentário brasileiro Bixa Travesty, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman, foi escolhido para o encerramento oficial (dia 22, 21:00). Ao todo, o certame propõe uma centena de filmes provenientes de 32 países: a maior representação, 27 títulos, vem dos EUA, seguindo-se o Brasil com 15 e a França com 14; Portugal está presente através de oito filmes.

Ler mais