Internet deve ultrapassar a televisão já em 2019

Estudo da agência Zenith, realizado em 63 países, prevê que o número de horas passadas a ver televisão seja ultrapassado pelas da Internet já no próximo ano. Em 2011, esta só valia 5% do consumo de média global

A Internet, sobretudo a Internet móvel, está a ganhar terreno a todas as outras plataformas de comunicação, preparando-se para alcançar a curto prazo o primeiro lugar. A conclusão é de um estudo realizado pela agência Zenith, em 63 países, segundo o qual a atual diferença, ainda favorável à televisão, de 173 minutos diários contra 160, seja anulada já em 2019.

Em 2020, prevê a mesma agência, a Internet terá crescido até aos 180 minutos diários - ou três horas - de consumo por cada cidadão, com a televisão a baixar para os 168.

"A expansão de dispositivos móveis e as redes rápidas de dados mobile transformaram o consumo global dos media no passado recente. E 24% de todo o consumo de média no mundo será móvel neste ano", defende o estudo, onde é lembrado que em 2011 - há apenas sete anos - o peso da internet em dispositivos móveis era de apenas 5% do total do consumo de média.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.